Ator egípcio é inocentado de insulto ao Islã após recurso

quinta-feira, 26 de abril de 2012 18:19 BRT
 

April (Reuters) - O egípcio Adel Imam, ator de comédia mais famoso do mundo árabe, que foi condenado a 3 meses de prisão por insultar o Islã em seus filmes e peças de teatro, teve sua sentença anulada após entrar com recurso, informou um jornal estatal nesta quinta-feira.

Imam, 71, já zombou de autoridades em suas comédias e de políticos de todas as cores durante uma carreira de 40 anos, embora fosse criticado publicamente por muitos egípcios por não apoiar os protestos contra o ex-presidente Hosni Mubarak. Seus filmes mais sérios tratavam do aumento da militância islâmica.

Liberais, esquerdistas e outros egípcios estão preocupados que os islâmicos que emergiram como uma força política dominante no Egito pós-Mubarak vão sufocar as liberdades sociais e culturais.

Um tribunal de pequenas causas anulou o veredicto proferido em fevereiro contra Imam, citando a "ausência de um crime", informou o jornal estatal Al-Ahram em seu site. A reportagem acrescentou que o ator teve de pagar honorários advocatícios e outras despesas legais.

Seu advogado e oficiais de justiça não puderam ser imediatamente contatados para comentar o caso.

Centenas de manifestantes se reuniram em frente ao tribunal no início do dia para apoiar Imam.

"Queremos a liberdade de criatividade" e "não ao processo contra artistas criativos", gritava a multidão, que incluía diretores, produtores e atores.

"Este é um caso injusto contra Imam e um sufocamento da liberdade de expressão", disse a atriz Jihan Fadel. "Se o apelo de Imam não for aceito, isso irá pavimentar o caminho para mais obstáculos na vida de todas as pessoas criativas no Egito."

Mas alguns transeuntes bradavam "prenda Imam", enquanto dois homens gritavam para a multidão "Imam sempre foi inimigo do Islã".

(Reportagem de Shaimaa Fayed)