Colar de diamantes do império Mogul será vendido por US$20 mi

segunda-feira, 30 de abril de 2012 15:34 BRT
 

LONDRES, 30 Abr (Reuters) - Um colar com cinco pingentes de diamantes do império Mogul e com gotas de esmeralda foi oferecido para venda privada por 20 milhões de dólares, informou a casa de leilões Bonham's nesta segunda-feira.

Segundo a casa de leilões, o colar chamado "Espelho de Diamantes" era um extraordinário exemplo dos diamantes brutos e sem cor descobertos nas minas antigas de Golconda, na Índia, durante o auge do império Mogul em todo o subcontinente indiano nos séculos 16 e 17, que eram reservados para a realeza.

Com 28 quilates, a pedra central é o maior diamante lapidado em superfície plana existente. Os cinco diamantes (que variam de 16 a 28 quilates) são o maior conjunto conhecido de diamantes em superfície plana do século 17 do império Mogul. Provavelmente os diamantes pertenceram a um imperador Mogul.

"A apresentação do colar Mogul Espelho de Diamantes, contendo cinco diamantes extraordinariamente bem combinados, está causando grande excitação no mundo dos estudiosos de joias, bem como entre potenciais compradores", disse o presidente e chefe internacional de joias da Bonham's, Mateus Girling, em comunicado.

Tanto para os imperadores Mogul quanto para os marajás da Índia, a qualidade e o tamanho da pedra eram de suma importância, e diamantes lapidados em superfície plana eram valorizados por sua clareza e tamanho acima de tudo.

Na época, os lapidadores de pedras apenas procuravam remover as áreas com fendas e inclusões, de modo que o formato da pedra bruta determinava o contorno final da pedra polida. Como resultado, as pedras tinham uma forma irregular e assimétrica à medida que o lapidador se esforçava para deixar o maior tamanho possível.

Pesando aproximadamente 96 quilates no total, os diamantes habilmente lapidados em superfície plana visavam realçar a beleza das pedras, sem sacrificar o seu tamanho.

Esses diamantes possuem a parte superior e inferior planas, além de serem facetados em torno das arestas. Essa lapidação atua como uma borda em torno da forma irregular do diamante, para produzir um brilho refrativo.

O GIA (Gemological Institute of America) especulou que os cinco diamantes quase incolores foram cortados a partir do mesmo cristal.   Continuação...