Não me culpem pela morte de Whitney, diz Bobby Brown

segunda-feira, 30 de abril de 2012 18:30 BRT
 

LOS ANGELES, 30 Abr (Reuters) - Bobby Brown, o ex-marido de Whitney Houston, revidou as alegações de que era responsável pela cantora ser viciada em drogas e que tinha de alguma maneira desempenhado um papel na morte dela, induzida por cocaína, em fevereiro.

"Não fui eu que levei Whitney para as drogas, de maneira alguma", disse Brown em uma entrevista que será transmitida esta semana no programa "Today", da rede de televisão norte-americana NBC.

"Não sou a razão de ela ter partido", acrescentou.

Whitney, de 48 anos, foi encontrada morta na banheira de um hotel em Beverly Hills no dia 11 de fevereiro. As autoridades descreveram a morte como afogamento acidental induzido pelo uso de cocaína e doença cardíaca. Pó branco e parafernália relacionada a drogas foram encontradas no banheiro onde ela morreu.

A cantora falara publicamente sobre uma longa batalha contra a cocaína, maconha e crack, principalmente durante seu tempestuoso casamento com Brown, que durou 15 anos. Eles se divorciaram em 2007, mas alguns fãs e parentes de Whitney culparam Brown por sua morte prematura.

Em sua primeira entrevista para a televisão desde a morte da cantora, Brown, de 43 anos, disse ao apresentador do "Today", Matt Lauer, que estava livre das drogas há sete anos e ficou triste ao saber que Whitney estava usando cocaína.

"Eu fiquei triste... porque, você sabe, eu estou livre dos narcóticos pelos últimos sete anos -eu achava que ela estava, você sabe, eu não sabia que ela ainda estava lutando com isso. Mas ao mesmo tempo, você sabe - escuta, é uma luta dura", disse.

Brown disse que as drogas faziam parte da vida de Whitney antes de ele a conhecer em 1991. "Eu fumava maconha, eu bebia cerveja, mas não, não fui eu que levei Whitney para as drogas, de maneira alguma", disse.

"Então essa era uma parte da vida dela antes de vocês ficarem juntos?", perguntou Lauer.   Continuação...