Sotheby's tem novo recorde para arte pós-guerra com Lichtenstein

quinta-feira, 10 de maio de 2012 13:49 BRT
 

Por Chris Michaud

NOVA YORK, 10 Mai (Reuters) - O quadro "Garota Adormecida" de Roy Lichtenstein foi vendido por quase 45 milhões de dólares na quarta-feira, estabelecendo um recorde para o artista pop no leilão da Sotheby's de 267 milhões de dólares em obra de arte do pós-guerra e contemporânea.

A tela de 1964, executada na assinatura do artista comercialmente influenciado pelo estilo dos quadrinhos, atendeu a estimativa mais alta ao ser arrematado por 40 milhões de dólares. Juntamente com o quadro "Figure Writing Reflected in Mirror", de Francis Bacon, a tela alcançou o preço mais alto da noite de 40 milhões de dólares.

A venda, que coroou duas semanas de vendas na Sotheby's e na rival Christie's marcadas por numerosos recordes, incluindo a obra mais cara já vendida em leilão, totalizou 266.591.000 de dólares, contra uma estimativa pré-venda de 215 milhões de dólares a 304 milhões de dólares. As estimativas não incluem comissão.

Quarenta e seis dos 57 lotes em oferta foram arrematados, enquanto três obras foram vendidas cada uma por mais de 35 milhões de dólares, incluindo a tela "Double Elvis", de Andy Warhol, que foi vendida por 37 milhões de dólares. A Sotheby's havia estimado vender a obra por ao menos 50 milhões de dólares.

As vendas anuais de primavera deram suporte à confiança dos leiloeiros de que o mercado de arte manteria a sua escalada ascendente, desafiando uma economia instável à medida que compradores experientes competiam com novos colecionadores por uma oferta limitada de obras de alta qualidade.

Os lances no leilão foram constantes e as obras de preço elevado conseguiram atingir as estimativas pré-venda, embora o clima não tenha sido tão animador quanto o de terça-feira na Christie's.

A Christie's realizou o leilão de arte do pós-guerra mais bem sucedido na história, estabelecendo um recorde para qualquer obra do pós-guerra com uma obra de 87 milhões de dólares de Mark Rothko, e vendeu 95 por cento de suas ofertas. Os recordes foram estabelecidos para artistas conhecidos como Jackson Pollock, Yves Klein, Gerhard Richter e Alexander Calder.

A Sotheby's teve o seu momento próprio, na semana passada, atingindo o preço mais alto da história para qualquer arte em leilão, quando a obra "O Grito" de Edvard Munch foi arrematada por quase 120 milhões de dólares.