Baron Cohen lança "O Ditador" com ofensas a Merkel e Murdoch

sexta-feira, 11 de maio de 2012 13:57 BRT
 

LONDRES, 11 Mai (Reuters) - A chanceler alemã, Angela Merkel, e o presidente da News Corp, Rupert Murdoch, estavam entre os alvos do humor satírico do comediante britânico Sacha Baron Cohen na noite de quinta-feira, na estreia mundial de sua paródia política "O Ditador".

Vestindo traje militar completo e uma barba falsa, e brandindo uma réplica de uma pistola de ouro, ele invadiu o tapete vermelho de Londres de pé em um Lamborghini laranja, com uma roda presa e sendo puxado por um caminhão de guincho.

Baron Cohen, vestido a caráter como o ditador norte-africano que odeia a liberdade General Aladeen, da fictícia República de Wadiya, ele também estava cercado por mulheres de saias curtas, uniformizadas como "guarda-costas".

"Agora, enquanto estou aqui, eu gostaria de conceder asilo político a (Rupert) Murdoch", declarou ele a jornalistas e fãs no tapete vermelho. "Nós também temos rastreamento de celular em Wadiya. Todo mundo que tem um telefone, nós cortamos as mãos."

Sobre a questão do casamento gay, que está nas manchetes esta semana depois que o presidente dos EUA, Barack Obama, apoiou publicamente o casamento homossexual, Baron Cohen disse:

"Estou muito feliz porque ontem Nicholas Clegg e David Cameron renovaram seus votos e agora eles são o casal mais famoso do mundo gay."

O primeiro-ministro britânico Cameron e seu parceiro de coligação e vice Clegg tentaram relançar seu governo conjunto esta semana, após grandes derrotas nas eleições locais.

Referindo-se à líder alemã, Baron Cohen acrescentou: "Aliás, Angela Merkel, você precisa cuidar de sua aparência. Acho que Merkel seria mais bem-sucedida se fizesse uma mudança de sexo e se tornasse uma mulher."

O comediante de 40 anos de idade criou uma carreira de sucesso adotando personagens ofensivos propensos a pronunciamentos politicamente incorretos com intenção de divertir e ofender.   Continuação...

 
Ator Sacha Baron Cohen, interpretando o Admirável General Aladeen, aponta arma enquanto posa com modelos na estreia mundial de "O Ditador" no Royal Festival Hall, em Londres. 10/05/2012 REUTERS/Paul Hackett