Advogado de Travolta reage a terceira acusação sexual

sexta-feira, 11 de maio de 2012 18:42 BRT
 

LOS ANGELES, 11 Mai (Reuters) - O advogado de John Travolta qualificou nesta sexta-feira de "ridículas" as novas acusações de assédio sexual imputadas ao ator por um terceiro homem, enquanto o primeiro acusador mudou sua versão sobre a data do suposto incidente num hotel de Beverly Hills.

Fabian Zanzi, funcionário de um navio de cruzeiro, disse ao programa chileno de TV "Primer Plano" que o ator lhe ofereceu 12 mil dólares em troca de sexo durante um cruzeiro em 2009.

Não ficou claro se Zanzi moveu ação judicial contra Travolta, que já é alvo de um processo aberto por dois massagistas que o acusam de agressão sexual.

“"Essa é mais uma alegação ridícula de alguém pulando no vagão para conseguir seus 15 minutos de fama com uma história sobre algo que teria acontecido há mais de três anos", disse o advogado Martin Singer em nota nesta sexta-feira.

"Na época, os supervisores de Zanzi não acreditaram nele, confinaram-no à sua cabine e posteriormente o demitiram, segundo relatos da imprensa. Significativamente, nunca ouvimos falar desse sujeito antes. O fato de só estarmos ouvindo falar dele agora por meio de fofocas em tabloides três anos depois fala por si só", acrescentou Singer.

Enquanto isso, o massagista que iniciou a ação contra Travolta, identificado no processo como John Doe No. 1 (fulano de tal número 1), teria admitido nesta sexta-feira que errou ao mencionar a data do incidente, no qual Travolta teria se esfregado nele e tentado iniciar um ato sexual.

Os advogados dizem que Travolta, casado há 20 anos com a atriz Kelly Preston, estava em Nova York no dia inicialmente citado, com recibos de restaurantes e fotos para provar.

Citando fontes não-identificadas, o site RadarOnline.com disse que o incidente pode ter acontecido antes de 16 de janeiro, data citada no processo. O acusador trocou de advogado, e o novo representante dele não foi localizado.

Um segundo massagista, também não-identificado, incorporou-se nesta semana à ação, que pleiteia uma indenização de 2 milhões de dólares. O "John Doe No 2" diz que Travolta tocou seus genitais e se insinuou sexualmente durante uma sessão de massagem em um hotel de Atlanta em 28 de janeiro.   Continuação...

 
O ator John Travolta posa para fotógravos em Nova York, 28 de janeiro de 2010. REUTERS/Jessica Rinaldi