Ex-editora de Murdoch vira ré em escândalo de espionagem

terça-feira, 15 de maio de 2012 09:53 BRT
 

Por Michael Holden e Kate Holton

LONDRES, 15 Mai (Reuters) - Rebekah Brooks, antiga executiva de confiança do empresário Rupert Murdoch, se tornou nesta terça-feira ré em um processo no qual é acusada de interferir numa investigação policial relativa ao escândalo de espionagem telefônica que abalou o império midiático do magnata e afetou todo o mundo político britânico.

Brooks, de 43 anos, é acusada de ocultar documentos, computadores e outros materiais dos investigadores, e de conspirar para retirar arquivos da sede londrina das empresas. Ela pode ser condenada a pena de prisão.

Essas são as primeiras acusações formais desde que a polícia reabriu o inquérito sobre as práticas da empresa News Corp., depois da revelação de que o extinto tabloide News of the World havia grampeado as caixas postais de centenas de celulares.

O processo causou constrangimento para Murdoch e também para o primeiro-ministro David Cameron, que era amigo íntimo de Brooks e mandou mensagens de texto manifestando apoio a ela na época em que os supostos crimes aconteceram.

O escândalo obrigou Murdoch a fechar o News of the World e a desistir da compra da totalidade das ações da operadora de TV a cabo BSkyB, além de ver uma comissão parlamentar acusá-lo de não ser capacitado para comandar uma grande corporação multinacional.

A proximidade de Murdoch com Brooks ficou clara no ano passado. Quando o magnata viajou a Londres para enfrentar o escândalo de espionagem, envolveu a ruiva em seus braços e declarou que ela seria sua maior prioridade.

Charlie Brooks, treinador hípico casado com a executiva, também foi incluído no processo, junto com a secretária dela, seu motorista, seguranças da News International (subsidiária da News Corp. para jornais britânicos) e outros funcionários.

O crime de obstrução da Justiça acarreta até a prisão perpétua, mas é improvável que uma sentença tão rigorosa seja imposta.   Continuação...