Artista Ai Weiwei diz que fuga de ativista cego vai inspirar chineses

terça-feira, 29 de maio de 2012 19:43 BRT
 

Por Sui-Lee Wee

PEQUIM, 29 Mai (Reuters) - O artista plástico Ai Weiwei, mais famoso dissidente da China, disse que a dramática fuga do ativista cego Chen Guangcheng irá inspirar outros chineses a trilharem o caminho rumo à democracia, sem viverem com medo.

Chen passou 19 meses sob prisão domiciliar ilegal, até se refugiar no mês passado na embaixada dos EUA em Pequim. O caso criou um incidente diplomático entre os dois países, até que Chen fosse autorizado a emigrar para Nova York com sua família.

"Por meio dos seus esforços, do seu espírito forte e do seu jeito incisivo, ele fez com que outros chineses não tenham desculpas para ainda viverem com medo, porque a situação deles nunca será pior do que a dele", disse Ai na terça-feira, nos mais detalhados comentários até agora sobre o caso de Chen.

"As coisas mais injustas que poderiam ter acontecido numa sociedade recaíram sobre um homem cego", disse Ai. "Isso é algo que ninguém pode aceitar ou explicar com qualquer desculpa. Todo mundo vai perguntar: 'Realmente temos de existir numa sociedade assim?'."

Ai, um homem barbudo e robusto, de 55 anos, falou na sua casa na zona oeste de Pequim, que tem os arredores constantemente monitorados por 15 câmeras de vigilância.

O artista atualmente está processando o governo por discordar de uma multa de 15 milhões de yuans (2,4 milhões de dólares) por evasão fiscal, imposta à empresa que comercializa suas obras. Em abril de 2011, Ai foi detido sem acusação formal e mantido em confinamento solitário até receber a liberdade condicional, em junho.

Desde então, ele ignora os esforços das autoridades para silenciá-lo, e se tornou uma referência para dissidentes e ativistas da China.

Ai não conhece Chen pessoalmente, e se disse "extremamente surpreso" por receber um telefonema dele no sábado. "Eu gosto muito de você", lhe disse Chen. "Eu sempre gostei de você também", respondeu Ai.   Continuação...