Suspeita de fraude acaba com "Vila Sésamo" paquistanês

terça-feira, 5 de junho de 2012 20:30 BRT
 

WASHINGTON, 5 Jun (Reuters) - Os Estados Unidos cancelaram o financiamento para a versão paquistanesa da série infantil de TV "Vila Sésamo", apontando na terça-feira acusações de fraude e corrupção na produção.

A Usaid (agência norte-americana de ajuda internacional) havia contratado a produtora paquistanesa Rafi Peer Theatre Workshop para produzir o "Vila Sésamo" local. A acusação à produtora foi feita por um "disque-denúncia".

Mark Toner, porta-voz do Departamento de Estado, disse que a Usaid havia reservado 20 milhões de dólares para o programa - que estreou no final de 2011 no Paquistão, onde se chama "Sim Sim Hamara" -, e que 6,7 milhões já foram entregues. O restante foi cancelado embora uma investigação ainda esteja em curso.

A organização não-lucrativa Sesame Workshop, que já levou "Vila Sésamo" e outros programas infantis a mais de 150 países, se disse "surpresa e abismada" com as acusações contra a Rafi Peer Theater Workshop.

O incidente ocorre num momento de grande tensão entre os governos dos EUA e do Paquistão, por causa dos frequentes bombardeios teleguiados norte-americanos em território paquistanês, da interrupção por Islamabad de rotas de suprimento para forças da Otan no Afeganistão e de outros atritos.

(Por Andrew Quinn)