Revista pede desculpas a Morrissey após polêmica sobre racismo

quarta-feira, 13 de junho de 2012 14:37 BRT
 

LONDRES, 13 Jun (Reuters) - A revista de música NME pediu desculpas a Morrissey por um artigo de 2007, que, segundo o ex-líder do Smiths, insinuava que ele era racista.

Morrissey, de 53 anos, processou a publicação pelo texto intitulado "Morrissey: Big Mouth Strikes Again", em que ele discutia a questão da imigração na Grã-Bretanha.

O caso havia sido programado para ir ao tribunal após o cantor vencer uma audiência pré-julgamento na Alta Corte em outubro, em que a publicação buscou derrubar a alegação com base em atrasos.

"A NME está satisfeita que enterrou a briga com Morrissey a respeito da ação por calúnia que moveu contra nós em 2007", afirmou um comunicado da revista.

"Morrissey nos processou por causa de um artigo baseado em entrevistas dele e que ele acreditou que o acusava de racismo."

"Após um contínuo diálogo com Morrissey e seus representantes, a NME hoje (terça-feira) publica um esclarecimento na revista e online que deixa claro que nós não acreditamos que tenhamos chamado Morrissey em nenhum momento de racista e nem acreditamos que ele seja. Nós pedimos desculpas a Morrissey por qualquer mal-entendido que possa ter havido".

A publicação acrescentou que o acordo não envolveu nenhum pagamento de danos ou custos legais ao cantor. Uma "pequena" quantia foi paga pela NME no ano passado por exigência da corte.

No artigo original, Morrissey foi questionado se algum dia voltaria a morar na Inglaterra, e em sua resposta foi citado dizendo:

"Com a questão da imigração, é muito difícil, porque, apesar de eu não ter nada contra pessoas de outros países, quanto maior o fluxo em direção à Inglaterra, mais a identidade britânica desaparece."

O advogado do cantor, John Reid, da Russells Solicitors, disse: "Meu cliente, obviamente, está satisfeito que a NME finalmente e publicamente desculpou-se com ele".

(Reportagem de Mike Collett-White)