Raf Simons promove estreia deslumbrante para Dior em Paris

segunda-feira, 2 de julho de 2012 16:31 BRT
 

Por Alexandria Sage

PARIS, 2 Jul (Reuters) - O "quem é quem" do mundo da moda apareceu para jogar flores aos pés do novo diretor criativo da Christian Dior nesta segunda-feira, aplaudindo a abordagem moderna que Raf Simons imprimiu ao grande ateliê francês.

O estilista belga superou as expectativas na sua primeira coleção para a Dior com um look decididamente arquitetural. A casa não tinha um estilista fixo desde que o antigo astro John Galliano caiu por causa de uma piada racista.

Estilistas rivais, como Alber Elbaz, da Lanvin, Marc Jacobs, da Louis Vuitton, e Donatella Versace, da Versace, e até mesmo o veterano Pierre Cardin, estiveram presentes à estreia de Simons em uma grande mansão parisiense enfeitada com flores.

Christian Dior referia-se às suas criações revolucionárias nos anos 1940 como "mulheres-flores", que usavam muito tecido para criar a silhueta "new look" acinturada que personificou a elegância e o excesso do pós-guerra.

A ideia floral, desconstruída, encontrou seu caminho na nova coleção de alta-costura de outono/inverno 2012-2013, enquanto o estilista conhecido pelo minimalismo usou cores vibrantes e um acabamento delicado para reviver a visão de Dior.

As modelos percorriam uma passarela que passava por cinco salas de cores diferentes, cujas paredes foram cobertas do chão ao teto por delfínios azuis, orquídeas brancas, rosas laranjas e vermelhas ou peônias e rosas cor-de-rosa em um cenário digno de colocar medo em qualquer alérgico.

No desfile, corpetes estruturados foram costurados para se parecerem com pétalas, com pregas de tecido sutis que se abriam como novos botões em vestidos e ternos cheios de curvas.

"A arquitetura das flores é analisada de uma forma diferente para o mundo contemporâneo", escreveu Simons em suas notas sobre a coleção, acrescentando que um "uso novo e intenso da cor" era central.

Depois do desfile, como uma série de fotógrafos e câmeras de televisão cercavam Simons, o estilista Elbaz resumiu o que havia sido a coleção: "Voilá a modernidade."

Usando um vestido floral, a atriz francesa Marion Cotillard concordou e disse que a coleção era "sublime".