ESTREIA-Chileno "A Vida dos Peixes" revela vida sem atrativos

quinta-feira, 26 de julho de 2012 10:51 BRT
 

SÃO PAULO, 25 Jul (Reuters) - Andrés (o venezuelano Santiago Cabrera, da série "Dexter"), protagonista de "A Vida dos Peixes", teria muito a conversar com o personagem-título de "O Turista Acidental". Ambos escrevem guias de viagem e usaram a profissão e o constante deslocamento em lugar de viver suas vidas.

Neste drama chileno, que estreia em São Paulo, o personagem volta à sua cidade para vender os imóveis que herdou e reencontrar com amigos da juventude e, com isso, revê sua vida e os erros cometidos.

Quando chega à casa de um amigo, acaba participando de sua festa de aniversário. É nela que irá reencontrar várias pessoas de seu passado e constatar como sua vida não mudou. O cenário é quase tão asfixiante quanto um aquário - daí o título.

O filme se passa praticamente inteiro dentro de uma casa, onde acontece a festa e Andrés revê amigos e a ex-namorada, Beatriz (Blanca Lewin, de "Na Cama"), agora casada e mãe de família.

Ao reencontrar o passado, fica evidente o paradoxo na vida do protagonista. Apesar de viajar bastante em função de seus guias, a vida de Andrés está parada no mesmo lugar - como lhe aponta sua ex-namorada. As interações com outros personagens - como os filhos ou a irmã do aniversariante - servem para delinear o passado do protagonista e o contrapor com seu presente.

Como em seu único filme lançado no Brasil, "Na Cama" (que ganhou uma refilmagem não assumida no país, chamada "Entre Lençóis"), o chileno Matías Bize confina seus personagens a um único ambiente e, uma vez acuados, são obrigados a encarar questionamentos e mergulhar em suas dúvidas. Não há escapatória.

Um filme como esse depende dos atores e de bom texto. Os diálogos dão conta do passado e do presente. E Bize encontra em Cabrera o intérprete ideal para o melancólico protagonista. Como William Hurt, em "O Turista Acidental", ele parece não agir, mas apenas esboçar reações à medida que a vida e seus erros caem sobre sua cabeça e ele percebe que terá de mudar, caso queira seguir em frente.

(Por Alysson Oliveira, do Cineweb)

* As opiniões expressas são responsabilidade do Cineweb