Tribunal americano reabre processo sobre objetos de Elvis

terça-feira, 31 de julho de 2012 18:29 BRT
 

31 Jul (Reuters) - Os herdeiros de um amigo de Elvis Presley foram autorizados nesta terça-feira a continuar lutando na Justiça pela posse de um chumaço de cabelo e de outros itens que pertenceram ao Rei do Rock que, segundo eles, foram furtados e vendidos em leilão por um total de 218 mil dólares.

Três primos de Sterling Gary Pepper, que foi amigo de Elvis e presidente do seu fã-clube, abriram o processo em 2009, acusando uma cuidadora de Pepper, chamada Nancy Whitehead, de ter furtado os objetos na época em que ele foi levado para um asilo.

Um tribunal de Iowa inicialmente arquivou o processo para reverter o leilão, entendendo que os parentes de Pepper demoraram demais a se queixar.

Um dos primos recorreu da decisão em nome do espólio de Pepper, alegando que os familiares não tinham conhecimento da coleção, por isso não abriram antes o processo contra a cuidadora.

Nesta terça-feira, um painel de três juízes do Oitavo Circuito da Corte de Apelações devolveu o processo à instância inferior.

Os 218 mil dólares resultantes do leilão estão indisponíveis até a conclusão do processo, segundo Matthew Sease, advogado do espólio de Pepper. Uma pintura a pastel de Elvis e da sua esposa, Priscilla, também estão congelados.

Brant Leonard, advogado de Whitehead, não respondeu de imediato a um pedido para comentar.

(Reportagem de Terry Baynes)