Roteirista nega que filme sobre caça a Bin Laden seja pró-Obama

quarta-feira, 8 de agosto de 2012 19:39 BRT
 

Por Mark Hosenball

WASHINGTON, 8 Ago (Reuters) - Um estúdio de Hollywood divulgou nesta semana o trailer de um filme que dramatiza a caçada a Osama bin Laden, mas seu roteirista negou que a intenção seja impulsionar a campanha à reeleição do presidente Barack Obama, que ordenou a operação militar que resultou na morte do fundador da Al Qaeda, em maio de 2011.

Meses atrás, o deputado republicano Peter King, presidente da Comissão de Segurança Interna da Câmara dos Deputados, insinuou que uma "firma democrata de lobby" estaria mediando os contatos entre os realizadores do filme e autoridades dos EUA, e disse que o objetivo do filme seria "contar uma história 'blockbuster' em ano eleitoral sobre uma das operações mais sigilosas na história norte-americana".

Mas o roteirista Mark Boal disse que o filme traz um relato apolítico sobre as ações dos agentes que clandestinamente perseguiram e mataram Bin Laden. Obama, acrescentou ele, não aparece como personagem no filme.

O estúdio Sony Pictures colocou nesta semana no YouTube um trailer de 75 segundos do filme, intitulado "Zero Dark Thirty".

Documentos oficiais entregues neste ano pelo governo a um grupo conservador mostram que Boal e a diretora do filme, Kathryn Bigelow, se reuniram com funcionários da Casa Branca, do Pentágono e da CIA para colher informações.

A CIA e o Pentágono disseram na ocasião que suas interações com os realizadores, ganhadores do Oscar por "Guerra ao Terror", eram normais e rotineiras.

No ano passado, a colunista Maureen Dowd, do jornal The New York Times, disse que a Casa Branca estava "contando" com o filme para "se contrapor à crescente reputação de Obama como ineficaz".

Dowd noticiou que o filme tinha estreia prevista para 12 de outubro, cerca de três semanas antes da eleição presidencial de novembro. Depois da publicação da coluna, porém, a imprensa informou que o lançamento foi adiado para dezembro.   Continuação...