Justiça manda fechar sites por uso indevido da imagem de Jackson

sexta-feira, 10 de agosto de 2012 19:39 BRT
 

LOS ANGELES, 10 Ago (Reuters) - Um juiz de Los Angeles decidiu nesta sexta-feira que um negociante canadense que se associou à mãe de Michael Jackson para produzir um livro-tributo violou direitos autorais pertencentes ao espólio do cantor, por manter no ar sites que usavam a imagem e as músicas dele.

O juiz federal Denan Pregerson, de Los Angeles, concedeu liminar proibindo o empresário Howard Mann de usar os sites michaeljacksonsecretvault.com, MJgives.com e outros domínios similares.

"Há indícios incontestáveis de que (Mann) pretendia de má-fé lucrar com o uso do nome de Jackson, ao registrar múltiplos nomes de domínio contendo o nome dele (Jackson) ou as iniciais 'MJ' para vender produtos relativos a Jackson", escreveu o juiz na sentença.

Os inventariantes de Jackson moveram a ação contra Mann em janeiro de 2011, 18 meses depois da repentina morte do cantor de "Thriller", em decorrência de uma overdose de medicamentos.

O espólio detém os direitos sobre a imagem e a música de Jackson, para benefício da mãe dele, Katherine, e dos três filhos do cantor.

Mann era acusado de usar indevidamente clipes da canção "Destiny", um logotipo com a imagem do "Rei do Pop", e imagens do filme-show póstumo "This Is It".

Katherine Jackson e Mann trabalham juntos em vários projetos desde 2009, inclusive o livro "Never Can Say Goodbye", de 2010, em que ela evocava lembranças do filho, além de um DVD e um calendário com imagens supostamente inéditas.

Todo esse material era vendido por meio do site Secret Vault ("cofre secreto"). Mann disse ter obtido a venda dos direitos há vários anos, numa venda de massa falida de parentes do cantor.

O site www.michaeljacksonsecretvault.com estava fora do ar nesta sexta-feira, e Mann não foi imediatamente localizado para comentar.   Continuação...