ENTREVISTA-Filme egípcio feito na Praça Tahrir traz esperança

segunda-feira, 13 de agosto de 2012 16:25 BRT
 

Por Shaimaa Fayed

CAIRO, 13 Ago (Reuters) - Quando o cineasta egípcio Ibrahim el-Batout estava no meio da multidão da Praça Tahrir, no Cairo, na véspera da queda de Hosni Mubarak no ano passado, seu primeiro instinto foi começar a filmar.

Com um telefonema rápido ao ator Amr Waked, um dos apoiadores de primeira hora da insurreição do ano passado, e à atriz Farah Youssef, em algumas horas o trio estava filmando uma cena na Praça Tahrir na qual um homem procura a namorada em meio à multidão.

O resultado é "Winter of Discontent", filme com uma mensagem de esperança que marca uma posição mais otimista de um diretor que passou quase duas décadas retratando o desespero da guerra.

"De tudo que tinha testemunhado, havia visto apenas seres humanos em pedaços e almas partidas", afirmou El-Batout. "Naquele dia na Tahrir, vi pessoas voltando à vida e isso é incrível."

"Olhava nos olhos delas e pensava 'vocês estavam mortas há 18 dias. Agora vocês estão de volta'. Isso eu nunca tinha visto em outro lugar."

O filme acompanha um ativista, um jornalista e um agente da segurança do Estado em 2009 e a forma como eles convergem dois anos depois, durante o levante de 18 dias da 'Primavera Árabe' no Egito contra Mubarak e seu odiado aparato de segurança.

Em uma entrevista à Reuters, El-Batout e Waked afirmaram que o filme não é sobre os acontecimentos políticos no Egito, mas uma tentativa de mostrar de que forma algo positivo pode emergir da agonia humana.

"Ele é uma mensagem sobre a resiliência humana", afirma Waked.   Continuação...