ESTREIA-Fernando Meirelles entrelaça amor e solidão em "360"

quinta-feira, 16 de agosto de 2012 12:11 BRT
 

SÃO PAULO, 16 Ago (Reuters) - Fernando Meirelles dá prosseguimento à sua carreira internacional com "360", coprodução entre Inglaterra, Áustria, França e Brasil, filmada em cinco países. O elenco inclui Anthony Hopkins, Jude Law, Rachel Weisz (que já trabalhara com o diretor em "O Jardineiro Fiel", pelo qual venceu o Oscar de atriz coadjuvante) e também dois atores brasileiros, Juliano Cazarré e Maria Flor.

Como em trabalhos anteriores de Meirelles, caso de "Cidade de Deus" (2002), "O Jardineiro Fiel" (2005) e "Ensaio sobre a Cegueira" (2008), mais uma vez, o roteiro, assinado pelo inglês Peter Morgan, parte de uma obra literária, no caso a peça "Ronda", de Arthur Schnitzler.

Certamente sobrou muito pouco do original de Schnitzler, escrito em 1897, mas só montado em 1921, devido ao seu tom considerado erótico. Há uma pulsão toda contemporânea nas histórias dos vários personagens, cujas vidas de algum modo se cruzam em algum momento. A homenagem mais evidente a Schnitzler é a localização de parte da trama na Viena natal do escritor.

A trama tem início com uma garota de programa eslovaca, Mirka (Lucia Siposova), que adota o nome de Blanka e rapidamente se torna um sucesso usando uma rede que posta fotos de mulheres na internet. Um empresário inglês de passagem, Michael (Jude Law), sente-se tentado a também experimentar seus serviços, mas há obstáculos.

Em Londres, a mulher de Michael, Rose (Rachel Weisz), vive outro dilema pela infidelidade, ao tentar romper um caso com o fotógrafo brasileiro Rui (Juliano Cazarré). E ele, pela traição, está sendo abandonado pela namorada Laura (Maria Flor).

Partindo de volta ao Brasil num voo repleto de escalas, Laura tem como companheiro de viagem o velho John (Anthony Hopkins), há anos à procura de uma filha. A neve no aeroporto de Denver que interrompe temporariamente as viagens de Laura e John igualmente coloca a moça na rota de um ex-presidiário (Ben Foster) - que talvez seja o personagem mais pungente do filme.

A prostituta faz também a ligação com dois russos, um chefão mafioso (Mark Ivanir, de "A Missão do Gerente de Recursos Humanos") e seu motorista Sergei (Vladimir Vdovichenkov). Este último mora em Paris, onde sua mulher, Valentina (Dinara Drukarova), trabalha como assistente de um dentista muçulmano (Jamel Debbouze) - que está loucamente apaixonado por ela, mas teme afrontar os princípios morais e religiosos para se declarar a uma mulher casada.

Dois brasileiros garantem a excelência técnica, que é a marca do cineasta Meirelles: o diretor de fotografia Adriano Goldman e o montador Daniel Rezende (indicado ao Oscar por "Cidade de Deus").

Guiada pela mão segura e experiente do diretor brasileiro, esta ciranda de histórias sentimentais entrecortadas entre fronteiras flui com naturalidade, embora, em alguns momentos, sente-se que se poderia ter ido mais fundo. Como são muitos personagens, algumas situações ficam muito na superfície e perdem força dramática, como é o caso da própria Mirka - cujas motivações nunca são mencionadas e ela parece ter apenas a função de dar a partida ao enredo.

(Por Neusa Barbosa, do Cineweb)

* As opiniões expressas são responsabilidade do Cineweb