Principais cantores russos ficam em silêncio sobre caso da Pussy Riot

quinta-feira, 16 de agosto de 2012 16:23 BRT
 

Por Alissa de Carbonnel

MOSCOU, 16 Ago (Reuters) - De Madonna ao ex-Beatle Paul McCartney, as estrelas pop do mundo pediram publicamente pela libertação das três integrantes da banda punk russa Pussy Riot, que estão sendo julgadas por um protesto contra o Kremlin feito no altar de uma igreja.

Mas a resposta dos principais artistas da própria Rússia foi o silêncio. Quando questionados sobre o caso, muitos parecem intrigados pelo apoio obtido pelas cantoras no exterior.

"O que o Pussy Riot tem para obter o apoio de todas essas estrelas internacionais?", questionou a cantora veterana russa Valeria em seu site. "Eles devem estar falando isso porque alguém mandou."

Quem conhece de perto a cena musical da Rússia afirma que as maiores estrelas do país tentam não se desentender com o presidente Vladimir Putin para não pôr em risco sua principal fonte de renda: os shows particulares para os super-ricos, que pagam muito bem.

Outros podem achar que tomar uma posição contra o Kremlin significa perder espaço na televisão estatal.

O artistas do mainstream russo também têm poucos motivos para se solidarizar com o Pussy Riot - um coletivo de protesto mais interessado em fazer declarações políticas do que música bem acabada.

"Para muitas dessas pessoas, o trabalho principal é se apresentar em festas corporativas para grandes empresas petrolíferas ou até mesmo para as principais autoridades do país", disse o cantor de rock Yevgeny Fyodorov.

"Elas são parte do sistema de Putin e têm medo de deixá-lo", disse Vasily Shumov, que compilou uma coleção online de canções este ano em apoio aos opositores de Putin, incluindo o Pussy Riot.   Continuação...