Mulheres da banda Pussy Riot são condenadas a 2 anos de prisão

sexta-feira, 17 de agosto de 2012 13:28 BRT
 

Por Timothy Heritage e Maria Tsvetkova

MOSCOU, 17 Ago (Reuters) - Três mulheres da banda punk russa Pussy Riot foram condenadas nesta sexta-feira a 2 anos de prisão por terem feito um protesto contra o presidente Vladimir Putin no altar da principal catedral da Igreja Ortodoxa em Moscou, um ato chamado de "blasfêmia" pela juíza que proferiu a sentença.

Seguidores da banda afirmam que o caso coloca em dúvida a tolerância de Putin a dissidentes. Várias figuras da oposição foram detidas do lado de fora do tribunal enquanto protestavam em apoio às mulheres.

As integrantes da banda contam com apoio no exterior, incluindo celebridades como Madonna, Paul McCartney e Sting, mas pesquisas mostram que poucos russos simpatizam com o grupo.

A juíza Marina Syrova declarou as mulheres culpadas de vandalismo motivado por ódio religioso, descrevendo-as como blasfemadoras que deliberadamente ofenderam os russos ortodoxos ao invadir a principal catedral de Moscou em fevereiro para cantar uma música ridicularizando Putin.

"Tolokonnikova, Samutsevich and Alyokhina cometeram um ato de vandalismo, uma grosseira violação da ordem pública, mostrando evidente falta de respeito pela sociedade", disse a juíza.

"As ações das garotas foram um sacrilégio, blasfêmia e quebraram as regras da igreja", acrescentou.

Nadezhda Tolokonnikova, de 22 anos, Marina Alyokhina, de 24, e Yekaterina Samutsevich, 30, ouviram a sentença algemadas, dentro de uma cela de vidro no tribunal.

As mulheres afirmaram que protestavam contra os laços estreitos de Putin com a Igreja Ortodoxa quando invadiram o altar da Catedral de Cristo Salvador, em Moscou, usando máscaras, meias coloridas e saias curtas, mas que não queriam ofender os fiéis. A procuradoria tinha pedido uma pena de três anos de prisão.   Continuação...

 
Integrantes da banda punk Pussy Riot (esq. para direita) Nadezhda Tolokonnikova, Yekaterina Samutsevich e Maria Alyokhina sentam-se em cela de vidro durante audiência em tribunal de Moscou. Juíza russa sentenciou as três mulheres da banda a dois anos de prisão. 17/08/2012 REUTERS/Maxim Shemetov