Indústria pornô de Los Angeles para após caso de sífilis

terça-feira, 21 de agosto de 2012 19:43 BRT
 

LOS ANGELES, 21 Ago (Reuters) - Uma entidade setorial da indústria pornográfica anunciou uma moratória na produção de filmes de sexo explícito depois de pelo menos um ator ter exames com resultados positivos para a sífilis, num fato que deve ampliar a pressão pela obrigatoriedade do uso de preservativos nas cenas.

Os atores devem voltar ao trabalho em dez dias, depois de usarem antibióticos, e médicos recomendaram que todos os atores de filmes eróticos sejam tratados preventivamente, segundo nota divulgada na segunda-feira à noite pela Coalizão do Livre Discurso, entidade que defende os interesses dos produtores de pornografia.

O texto diz que as produções estão paralisadas desde o fim de semana.

"Claramente a prioridade da nossa indústria é a saúde e o bem-estar dos nossos artistas", disse a nota assinada por Diane Duke, diretora-executiva da entidade.

Los Angeles é a capital norte-americana da pornografia, com cerca de mil atores e atrizes na área. Produtores atualmente estão sendo pressionados a exigirem o uso de preservativos em todas as gravações, para evitar a difusão da Aids e de outras doenças sexualmente transmissíveis.

(Reportagem de Alex Dobuzinskis)