Assassino de John Lennon recebeu oferta de ajuda em caso de libertação

quarta-feira, 29 de agosto de 2012 18:20 BRT
 

NOVA YORK, 29 Ago (Reuters) - Um ministro religioso do oeste de Nova York ofereceu ao assassino de John Lennon, Mark David Chapman, um trabalho e um lugar para ficar após sua eventual libertação da prisão, disse Chapman ao conselho municipal nova-iorquino neste mês.

Chapman, de 57 anos, cumpre prisão perpétua por atirar quatro vezes contra o ex-Beatle nas costas em frente ao apartamento de Lennon na cidade de Nova York em 8 de dezembro de 1980. No início de agosto, ele teve o pedido de liberdade condicional negado pela sétima vez.

Se Chapman tivesse conseguido a condicional, ele disse que recebeu uma oferta de ajuda de um ministro de Nova York. Os dois se corresponderam e se encontraram pessoalmente pela primeira vez na véspera da audiência que negou o pedido de Chapman, afirmou.

"Há um amigo em Medina, Nova York, e ele é um ministro, é um amigo mais velho e tem muitos contatos na área, ele concordou em reformar o seu apartamento no andar de cima para mim e me ofereceu dois empregos", disse Chapman, de acordo com uma transcrição fornecida pelo conselho.

Tentativas de falar com o ministro em sua casa e no gabinete dele na igreja não tiveram sucesso. Seu filho confirmou à Reuters que ele havia feito a oferta.

Medina é uma cidade rural 80 quilômetros a nordeste de Buffalo, perto de Lake Ontario.

Chapman tem entrado com pedidos de liberdade condicional a cada dois anos desde 2000, todas as vezes negados.

(Reportagem de Edith Honan)

 
Mark David Chapman é visto nesta foto de maio de 2012 divulgada pelo Departamento Penal de Nova York. Um ministro religioso do oeste de Nova York ofereceu ao assassino de John Lennon, Mark David Chapman, um trabalho e um lugar para ficar após sua eventual libertação da prisão, disse Chapman ao conselho municipal nova-iorquino neste mês. 15/05/2012 EUTERS/NYS Department of Corrections/Handout