6 de Setembro de 2012 / às 17:32 / 5 anos atrás

Redford é ex-radical perseguido por jornalista em "The Company You Keep"

Por Mike Collett-White

VENEZA, 6 Set (Reuters) - Em "Todos os Homens do Presidente", Robert Redford interpretou um repórter em busca de pistas que levaram à queda do presidente Richard Nixon. Em "The Company You Keep", o vencedor do Oscar é o homem perseguido por um jornalista, desta vez interpretado por Shia LaBeouf.

Ao contrário da história de 1976 sobre o escândalo Watergate, "The Company You Keep" é um suspense ficcional baseado em um livro de 2003 de Neil Gordon. Nele, um ex-militante de esquerda norte-americano é assombrádo por seu próprio passado.

Redford interpreta Jim Grant, um advogado respeitável e viúvo com uma filha jovem, cuja vida fica tumultuada quando sua identidade secreta, como membro do The Weather Underground décadas antes, é revelada por um repórter obstinado.

LaBeouf, uma das várias jovens estrelas a aparecer este ano no Festival de Cinema de Veneza, onde o filme tem sua estreia mundial nesta quinta-feira, aparece como Ben Shepard, um escritor ambicioso que trabalha para um jornal local em dificuldades.

Quando uma ex-integrante do The Weather Underground (Susan Sarandon) se entrega, ele descobre uma rede de ex-militantes que passaram a se esconder na década de 1970 e ainda são procurados pelo FBI por um roubo e assassinato.

Um deles é Grant, que é forçado a deixar sua filha para trás para procurar a única pessoa que pode ser capaz de salvá-lo.

"Fundamentalmente, o filme é mais ou menos sobre o que um homem vai fazer por um filho, o que um homem vai fazer para ter o amor de sua filha preservado", disse Redford a jornalistas depois que o filme foi exibido para a imprensa antes de sua estreia no tapete vermelho.

Também estrelado por Julie Christie, o filme de duas horas explora os ideais da juventude e se eles devem ser sacrificados para o bem do amor e da família.

GATO E RATO

O estilo gato e rato da perseguição de Shepard por Grant e a filmagem original de notícia dá uma sensação semelhante à de "Todos os Homens do Presidente", e LaBeouf estudou o desempenho de Redford no filme para pesquisar o seu papel.

Mas o jovem ator disse a jornalistas em Veneza que havia grandes diferenças entre os desafios enfrentados pelas pessoas na década de 1960 e 1970 e aqueles com que eles devem lidar hoje.

"A geração de Bob, eles colocaram uma arma na sua mão e lhe disseram para ir e correr pela selva e atirar nas pessoas", afirmou o ator de 26 anos. "Você realmente não tinha escolha."

"Minha geração é muito diferente. Nós não estamos sendo convidados a fazer as mesmas coisas, nós estamos apenas falidos. É mais fácil lidar com estar falido do que com ser solicitado para matar."

Apesar destas diferenças, Redford disse que seu filme deve ressoar no público contemporâneo que pode ficar tentado a se levantar e se revoltar contra um sistema político e financeiro que, segundo ele, favorece os muito ricos.

"Cada geração tem o seu momento de rebelião, o seu momento de descontentamento e sua chance de fazer algo a respeito", afirmou Redford, 76 anos, que dirigiu e atuou pela última vez em um filme em 2007 com "Leões e Cordeiros".

0 : 0
  • narrow-browser-and-phone
  • medium-browser-and-portrait-tablet
  • landscape-tablet
  • medium-wide-browser
  • wide-browser-and-larger
  • medium-browser-and-landscape-tablet
  • medium-wide-browser-and-larger
  • above-phone
  • portrait-tablet-and-above
  • above-portrait-tablet
  • landscape-tablet-and-above
  • landscape-tablet-and-medium-wide-browser
  • portrait-tablet-and-below
  • landscape-tablet-and-below