Esquemas de Wall Street se tornam dramas pessoais em "Arbitrage"

sexta-feira, 14 de setembro de 2012 18:55 BRT
 

Por Lisa Richwine

LOS ANGELES, 14 Set (Reuters) - No seu novo drama "Arbitrage", Richard Gere leva os negócios obscuros de Wall Street para a tela grande no papel de um chefão de um fundo de hedge tentando cobrir perdas enormes de um investimento de cobre arriscado.

A conspiração lembra os escândalos da vida real e os banqueiros que fizeram as manchetes e geraram desprezo popular com Wall Street durante a crise financeira recente. Embora o público possa estar sedento para assistir à queda de um banqueiro ganancioso, o personagem de Gere no filme que estreia nos cinemas dos EUA nesta sexta-feira não é um cara totalmente ruim.

O bilionário ficcional Robert Miller "não é uma pessoa má", insiste a estrela de 63 anos de "Uma Linda Mulher" e "Chicago". Mas, Gere admite, o presidente-executivo de fato "passa a vida acreditando em sua própria arrogância" e, ao longo do caminho, "toma decisões muito ruins".

Apesar dos atos ilegais e da riqueza imensa de Miller, o público verá um lado humano com que vai se familiarizar, disse Gere. "Eu fiquei muito satisfeito por quantas pessoas vieram até mim e disseram que se sentiam mal porque se identificaram muito com ele e queriam que ele se livrasse de seus problemas", disse o ator à Reuters.

O escritor e diretor Nicholas Jarecki, que cresceu no mundo da alta finança como filho de dois operadores de commodities de Nova York, disse que o personagem de Miller surgiu a partir da crise financeira de 2008.

"Os caras estavam sendo tão transformados em vilões naquele momento", afirmou Jarecki, e ele queria explorar como eles fizeram decisões dentro de um sistema que deixa as pessoas tentadas com grandes recompensas, mas com imenso risco. Ele descreve "Arbitrage" como "o clássico conto trágico de um bom homem que se deu mal".

A ARTE IMITA A VIDA

O Miller charmoso e sempre confiante em "Arbitrage" esbanja os mimos de seu sucesso - uma linda casa em Manhattan, uma bela esposa (Susan Sarandon), filhos amáveis, uma jovem amante francesa, e mais dinheiro do que uma pessoa precisa.   Continuação...

 
Ator norte-americano Richard Gere é visto nesta foto de janeiro deste ano, durante estréia do filme "Arbitrage" no teatro Eccles, durante o Festival Sundance em Utah, nos EUA. No seu novo drama, Gere leva os negócios obscuros de Wall Street para a tela grande no papel de um chefão de um fundo de hedge tentando cobrir perdas enormes de um investimento de cobre arriscado. 21/01/2012 REUTERS/Mario Anzuoni