ENTREVISTA-Editor italiano defende fotos do topless de Kate

segunda-feira, 17 de setembro de 2012 14:10 BRT
 

Por Silvia Aloisi

MILÃO, 17 Set (Reuters) - O editor de uma revista de fofocas italiana que publicou fotos da mulher do príncipe William se bronzeando sem a parte de cima do biquíni defendeu a decisão da publicação nesta segunda-feira, dizendo que as imagens eram inofensivas e que o terraço onde ela foi relaxar podia ser visto daa rua.

Em entrevista à Reuters, Alfonso Signorini, editor da Chi, também acusou a mídia britânica de ter normas duplas ao não publicar as fotografias.

"É um furo e um furo grande... eu não tive a menor hesitação", disse Signorini.

O casal real iniciou uma ação judicial contra a revista francesa Closer, que foi a primeira a publicar dezenas de imagens de Catherine, a duquesa de Cambridge --anteriormente Kate Middleton-- quando ela tirou a parte de cima do biquíni durante as suas férias em um castelo francês.

O escritório de William chamou as fotos de uma "invasão grotesca e totalmente injustificada de privacidade".

A revista Chi, que assim como a Closer é controlada pela editora Mondadori, do ex-primeiro-ministro Silvio Berlusconi, publicou uma edição especial de 26 páginas dedicada às fotos nesta segunda-feira, depois de um fim de semana de propaganda.

"As fotos são completamente naturais, não são mórbidas e de forma alguma prejudicam a dignidade ou a moral das pessoas retratadas... Além disso, embora o terraço estivesse em uma residência privada, tinha vista para uma rua onde qualquer um que passava com um boa lente poderia ter tirado as fotos."

As imagens reacenderam lembranças na Grã-Bretanha da perseguição da mídia à mãe de William, a princesa Diana, que morreu em um acidente de carro em Paris, em 1997, ao ser seguida por paparazzi. Mas Signorini disse que a comparação era errada.   Continuação...