Rowling deixa porta aberta para retomar universo de Harry Potter

quarta-feira, 26 de setembro de 2012 18:37 BRT
 

Por Christine Kearney

NOVA YORK/LONDRES, 26 Set (Reuters) - Harry Potter chegou ao fim, mas seu universo ainda pode ser retomado.

Na semana em que a escritora J.K. Rowling lança seu primeiro romance adulto, ela revelou que seu próximo livro deve ser novamente uma obra para crianças, e admitiu que pode no futuro retomar o universo do menino-mago.

"Acho muito provável que a próxima coisa que eu publicar será para crianças. Tenho um livro infantil do qual realmente gosto, é para crianças ligeiramente menores do que os livros de Potter", disse Rowling em entrevista transmitida nesta quarta-feira pela BBC.

Num dos vários eventos para o lançamento do romance "The Casual Vacancy", que chega às livrarias do mundo todo na quinta-feira, ela disse à emissora britânica: "Realmente, no que diz respeito à história de Harry, terminei".

Mas a escritora de 47 anos não descarta algum outro tipo de sequência, embora garanta que jamais faria isso por razões meramente comerciais. Os sete volumes da série "Harry Potter" venderam 450 milhões de exemplares no mundo todo.

"Sempre deixei a porta aberta, porque não sou tão cruel. Se eu tivesse uma ideia fabulosa vinda daquele mundo, porque adorei escrevê-lo, eu faria", afirmou ela à BBC.

"Mas preciso ter uma grande ideia, não quero ir mecanicamente para aquele mundo, juntar uma miscelânea, colar tudo e dizer: ‘Lá vamos nós, dá para vender isso'. Seria zombar do que esses livros foram para mim."

"Sou muito avessa à ideia de ‘prequela' e ‘sequela'. Nunca vi funcionar nem na literatura nem no cinema. Essa é uma preferência pessoal", acrescentou.   Continuação...

 
Cartaz anunciando novo livro "The Casual Vacancy" da escritora inglesa J.K. Rowling é visto em uma livraria em Londres. Na semana em que Rowling lança seu primeiro romance adulto, ela revelou que seu próximo livro deve ser novamente uma obra para crianças, e admitiu que pode no futuro retomar o universo do menino-mago. 26/09/2012 REUTERS/Neil Hall