3 de Outubro de 2012 / às 16:58 / em 5 anos

ENTREVISTA-Tim Burton volta às origens com "Frankenweenie"

O diretor e produtor Tim Burton posa na premier do filme "Frankenweenie", em Hollywood, Califórnia. 24/09/2012Mario Anzuoni

Por Zorianna Kit

LOS ANGELES, 3 Out (Reuters) - O cineasta Tim Burton retorna às suas raízes de animação em stop motion com o lançamento, na sexta-feira, de "Frankenweenie", um filme 3D em preto-e-branco sobre um menino que usa a ciência para trazer seu amado cachorro de volta à vida.

O filme é da Walt Disney, que demitiu Burton há mais de 20 anos por sua primeira versão de "Frankenweenie". Burton, de 54 anos, falou à Reuters sobre a realização de desejos e porque a história é muito pessoal para ele.

Pergunta: "Frankenweenie" toma como base a relação que você teve com o seu cão quando criança. Conte-nos sobre o cachorro.

Resposta: "Eu tinha essa forte ligação com um vira-lata que a gente tinha, chamado Pepe, e era uma conexão boa... muito poderosa. O cachorro não deveria viver muito tempo por causa de uma doença que ele tinha, mas acabou vivendo um bom tempo. Você tem essa conexão forte e pensa ‘Bem, quanto tempo isto vai durar?'. Você realmente não entende os conceitos de morte naquele momento."

P: "Frankenweenie" era um filme curto de ação que você dirigiu para a Disney em 1984. O que fez você decidir fazer um filme longa-metragem como uma animação em stop motion?

R: "Pareceu ser a forma correta para ele. Eu sempre gostei da estrutura de filmes como 'Frankenstein' e depois 'A Casa de Frankenstein', onde eles incorporaram outros monstros... Eu tentei ser bem claro e não apenas aumentar a versão curta. Eu peguei o coração e espírito do que era o 'Frankenweenie' curto, peguei a história de Frankenstein, e fui atrás das outras estruturas de Frankenstein, onde as outras crianças -- ou monstros -- vêm brincar."

P: Por que "Frankenstein?"

R: "Eu aprendi sobre a morte assistindo ‘Frankenstein' e ‘Drácula'. Embora você realmente não entenda, você se toca. E esse é o propósito dessas histórias, meio que preparar você para as coisas abstratas que ainda não conhece."

P: O curta original fez você ser demitido da Disney porque eles acharam que era inapropriado para crianças. Você acha que eles estavam certos?

R: Neste filme 'Frankenweenie' eu faço uma referência ao ‘Bambi' porque a fundação da Disney foi baseada na exploração dessas coisas -- a mãe do Bambi morrendo, por exemplo. Ou ‘O Rei Leão', em que existe morte no filme todo. Acho que as pessoas na empresa esquecem a história dos filmes da Walt Disney."

P: Quão assustador é o filme novo?

R: "Não há gritos. Nenhum corpo sendo esmagado. Eu senti como se fosse o caminho mais seguro e positivo para explorar esses temas. É mais uma fantasia, uma realização do desejo."

P: Pepe era um vira-lata na vida real, mas no filme curto e neste longa, ambos os cães são bull terrier. Por que essa raça?

R: "Meus desenhos originais para o filme são bastante abstratos. Eles realmente não identificam uma raça. Eu estava tentando fazer o cão mais geral, com o tipo certo de espírito. Mas quando chegou o momento de usar um cão real, (usar um bull terrier) definitivamente pareceu ser o tipo certo. Eles são muito especiais."

0 : 0
  • narrow-browser-and-phone
  • medium-browser-and-portrait-tablet
  • landscape-tablet
  • medium-wide-browser
  • wide-browser-and-larger
  • medium-browser-and-landscape-tablet
  • medium-wide-browser-and-larger
  • above-phone
  • portrait-tablet-and-above
  • above-portrait-tablet
  • landscape-tablet-and-above
  • landscape-tablet-and-medium-wide-browser
  • portrait-tablet-and-below
  • landscape-tablet-and-below