Integrante da banda Pussy Riot é solta após recurso em corte russa

quarta-feira, 10 de outubro de 2012 10:34 BRT
 

Por Maria Tsvetkova

MOSCOU, 10 Out (Reuters) - Uma integrante da banda punk russa Pussy Riot foi solta depois do julgamento de um recurso, nesta quarta-feira, porém o tribunal manteve as penas de prisão para as duas outras devido a um protesto contra o presidente Vladimir Putin dentro de uma catedral.

A corte de Moscou confirmou as sentenças de dois anos de prisão para Nadezhda Tolokonnikova e Maria Alyokhina, mas suspendeu a sentença de Yekaterina Samutsevich.

O advogado de Yekaterina disse que ela não tinha realizado o "protesto punk" perto do altar da Catedral de Cristo Salvador, em Moscou, em fevereiro, porque tinha sido detida e levada pela polícia antes do acontecimento.

Em declarações emocionadas de dentro de uma cela no tribunal, durante a audiência de apelação, as integrantes da banda disseram que não tinham a intenção de ofender os fiéis com suas ações, mas criticaram os tribunais e o chefe do Kremlin.

"Putin está fazendo de tudo para o desenvolvimento de uma guerra civil neste país", disse Nadezhda, levantando a voz para abafar um juiz que tentou interrompê-la quando ela começou a falar sobre Putin.

Nadezhda, de 22 anos, Maria, de 24 anos, e Yekaterina, de 30, foram condenadas em agosto a dois anos de prisão por vandalismo motivado por ódio religioso por causa de uma "oração punk", em que imploravam à Virgem Maria para livrar a Rússia de Putin.

Em entrevista transmitida no domingo, Putin defendeu as condenações: "É correto que elas tenham sido presas e foi correto que o tribunal tenha tomado esta decisão, porque não se pode minar a moral e valores fundamentais para destruir o país".

Na audiência de apelação, Nadezhda e Maria disseram ao tribunal que seu protesto foi puramente político.

"Nós não quisemos ofender os fiéis", disse Maria ao tribunal. "Nós fomos à catedral para nos expressar contra a fusão entre figuras espirituais e a elite política do nosso país."

(Reportagem adicional de Gabriela Baczynska e Alissa de Carbonnel)

 
Yekaterina Samutsevich, integrante da banda de punk rock "Pussy Riot", caminha após sair de tribunal em Moscou. Uma integrante da banda punk russa Pussy Riot foi solta depois do julgamento de um recurso, nesta quarta-feira, porém o tribunal manteve as penas de prisão para as duas outras devido a um protesto contra o presidente Vladimir Putin dentro de uma catedral. 10/10/2012 REUTERS/Maxim Shemetov