Escritor chinês Mo Yan ganha o Nobel de Literatura

quinta-feira, 11 de outubro de 2012 09:59 BRT
 

ESTOCOLMO, 11 Out (Reuters) - O escritor chinês Mo Yan ganhou o Prêmio Nobel de Literatura, nesta quinta-feira, por seus trabalhos que combinam "realismo alucinógeno" com contos folclóricos, história e a vida contemporânea em sua terra natal.

O prêmio, concedido pela Academia Sueca, tem o valor de 8 milhões de coroas suecas (1,2 milhões de dólares).

Mo, que cresceu no nordeste do país, em Gaomi na província de Shandong, e cujos pais eram fazendeiros, ambienta seu trabalho principalmente na China.

"Ele tem uma maneira tão única de escrever. Se você ler metade de uma página de Mo Yan, imediatamente o reconhece", afirmou Peter Englund, presidente da Academia.

Englund disse que Mo havia sido informado sobre o prêmio. Mo Yan é um pseudônimo, que significa "Não fale". Seu verdadeiro nome é Guan Moye.

"Ele estava em casa com seu pai. Estava muito feliz e assustado", disse Englund à televisão sueca.

A citação da condecoração disse que Mo usava uma mistura de fantasia e realidade, perspectivas históricas e sociais, para criar um mundo que traz à memória a escrita de William Faulkner e Gabriel Garcia Márquez.

Ao mesmo tempo, ele encontrou "um ponto de partida na literatura chinesa antiga e na tradição oral", disse a Academia.

Mo é mais conhecido no Ocidente por "Sorghum Vermelho", que retratou as dificuldades enfrentadas por fazendeiros nos primeiros anos do regime comunista. Seus títulos incluem "Big Breasts and Wide Hips" e "The Republic of Wine".

O prêmio para literatura é o quarto da temporada de premiação deste ano do Nobel, que foi estabelecida no testamento do inventor da dinamite, o sueco Alfred Nobel, e concedido pela primeira vez em 1901.

(Reportagem de Johan Ahlander, Simon Johnson e Anna Ringstrom)

 
Escritor chinês Mo Yan vai receber 1,2 bilhão de dólares da Academia Sueca. 24/12/2009 REUTERS/China Daily