Hilary Mantel faz história e conquista seu 2o prêmio Booker

terça-feira, 16 de outubro de 2012 19:18 BRT
 

LONDRES, 16 Out (Reuters) - Hilary Mantel escreveu seu nome na história na terça-feira, ao se tornar a primeira mulher e a primeira escritora (ou escritor) de origem britânica a ganhar duas vezes o cobiçado prêmio literário de ficção Man Booker, por "Bring Up the Bodies", continuação do aclamado "Wolf Hall".

Antes, dois homens haviam conquistado a "dobradinha" - o sul-africano J.M. Coetzee e o australiano Peter Carey.

Peter Stothard, presidente do júri, descreveu Mantel como "a maior escritora da prosa inglesa moderna", e disse a jornalistas que ela conseguiu re-escrever a arte da ficção histórica.

"Wolf Hall" ficcionaliza a ascensão de Thomas Cromwell, filho de um ferreiro, até o topo da corte de Henrique 8o. O livro havia recebido o Booker em 2009, com um prêmio financeiro de 50 mil libras (80 mil dólares).

"Bring Up the Bodies", lançado pelo selo Fourth Estate, da HarperCollins, retoma a ação em 1535, quando Ana Bolena cai em desgraça, para ser executada no ano seguinte.

"Essa é uma história sangrenta da morte de Ana Bolena e da busca de Ana Bolena, mas Hilary Mantel é uma escritora que pensa por meio do sangue. Ela usa seu poder de prosa para criar uma ambiguidade moral e a incerteza real sobre a vida política de então", disse Stothard.

Mantel tem chance de se tornar "tricampeã" do Booker - a terceira parte da trilogia, "The Mirror and the Light", tem lançamento previsto para 2015.

(Reportagem de Mike Collett-White)