Guitarrista Joanne Shaw Taylor é "deusa" rara do blues-rock

quinta-feira, 18 de outubro de 2012 13:59 BRT
 

Por Jeremy Gaunt

LONDRES, 18 Out (Reuters) - Os fãs de rock e blues que não ouviram Jimi Hendrix e Stevie Ray Vaughan em seu auge não poderiam ter se sentido melhores ao ouvir uma encarnação do século 21, em Londres, esta semana.

Acordes com batidas de guitarra extasiaram o público no Leicester Square Theatre, quase que da mesma maneira que os falecidos "deuses do rock" costumavam fazer.

Só que a performance veio de uma "deusa", Joanne Shaw Taylor, uma inglesa de 27 anos que mora em Detroit, cujo estilo musical e habilidades audaciosas de guitarra podem facilmente atrair uma segunda olhada daqueles que se deparam com ela despreparados.

A voz grave de blues e os longos cabelos loiros aumentam a sensação de que algo aqui não se encaixa ao molde esculpido por Hendrix, Vaughan, Jimmy Page ou Keith Richards.

Guitarristas mulheres de blues-rock são poucas, especialmente se nasceram em meados dos anos 1980, e podem hipnotizar seus ouvintes com uma versão de "Manic Depression", de Hendrix, que faria o roqueiro original temer por seu sucesso.

"Não há tantas mulheres tocando guitarra", disse Shaw Taylor à Reuters antes de entrar no palco. "Junto com a bateria, é um instrumento agressivo, masculino."

Convidada a citar mulheres boas de guitarra, ela deu uma pequena lista que inclui Susan Tedeschi, Joan Jett e Bonnie Raitt. Respectivamente, elas estão em seus 40, 50 e 60 anos.

Shaw Taylor diz que isso pode estar mudando. Ela observou que os pais estão trazendo suas filhas jovens para ver seus shows.   Continuação...