23 de Outubro de 2012 / às 17:28 / em 5 anos

Diretor-geral da BBC nega acobertamento de escândalo sexual

Por Michael Holden e Kate Holton

LONDRES, 23 Out (Reuters) - O diretor-geral da BBC, George Entwistle, negou nesta terça-feira ter ajudado a abafar um escândalo sexual envolvendo um antigo astro da TV, mas admitiu que a emissora britânico foi afetada pela crise que abalou a confiança do público em uma instituição pública.

Entwistle, que assumiu o poder da organização de mídia com 90 anos de história apenas em agosto, afirmou a parlamentares que falhas na BBC permitiram que Jimmy Savile, que chegou a ser um dos principais apresentadores de TV da Grã-Bretanha, se aproveitasse de jovens garotas por anos.

O diretor-geral acrescentou que não poderia descartar as sugestões de que uma rede de pedofilia teria existido dentro da BBC, que é financiada pelo Estado, durante o auge da fama de Savile, nos anos 1970 e 1980.

Entwistle, no entanto, rejeitou as alegações de que diretores da BBC tenham procurado esconder as acusações contra Savile, que morreu no ano passado, ou impedido uma investigação feita por um dos programas de notícias da própria organização.

“Esse é um assunto muito sério e não se pode observá-lo com outra coisa além de horror”, disse Entwistle ao Comitê de Cultura e Mídia do Parlamento britânico.

“Não há dúvida de que a cultura e as práticas da BBC parecem ter permitido que Jimmy Savile tenha feito o que fez, o que suscitará questões sobre confiança e reputação para nós.”

A polícia investiga as acusações de que o excêntrico Savile, que apresentou programas infantis na BBC, tenha abusado de mulheres, incluindo garotas de 12 anos, ao longo de seis décadas. Alguns dos ataques teriam ocorrido dentro das instalações da BBC.

Detetives anunciaram a abertura de um inquérito criminal sobre as acusações na sexta-feira, dizendo que mais de 200 possíveis vítimas se apresentaram.

O furor com o caso Savile é a maior controvérsia a atingir a BBC desde que seu diretor-geral e presidente renunciou, em 2004, após um inquérito liderado por um juiz determinar que a organização informou incorretamente que o ex-primeiro-ministro Tony Blair tinha “modificado” dados de inteligência para justificar a invasão do Iraque em 2003.

O caso ocorre no momento em que os jornais britânicos aguardam as recomendações de um outro inquérito sobre ética jornalística, depois de um escândalo envolvendo grampos telefônicos no tabloide agora extinto News of the World, de Rupert Murdoch, que poderá ter implicações sérias para a mídia.

A BBC, que tem um lugar especial para os britânicos e é sustentada por um imposto cobrado da população, está sob pressão crescente desde que o canal rival ITV expôs os supostos crimes de Savile há três semanas.

O aspecto mais devastador para Entwistle e os administradores da emissora foi a acusação de que uma investigação similar feita pelo programa Newsnight, da BBC, foi engavetada alguns meses depois da morte de Savile, em outubro de 2011, porque entraria em confronto com os programas de Natal celebrando a vida dele e seu trabalho filantrópico.

O antecessor de Entwistle como diretor-geral da BBC, Mark Thompson, também disse que desconhecia o teor da investigação do Newsnight até ser divulgado este mês. Thompson agora é o CEO do New York Times.

0 : 0
  • narrow-browser-and-phone
  • medium-browser-and-portrait-tablet
  • landscape-tablet
  • medium-wide-browser
  • wide-browser-and-larger
  • medium-browser-and-landscape-tablet
  • medium-wide-browser-and-larger
  • above-phone
  • portrait-tablet-and-above
  • above-portrait-tablet
  • landscape-tablet-and-above
  • landscape-tablet-and-medium-wide-browser
  • portrait-tablet-and-below
  • landscape-tablet-and-below