Principal banco da Itália transforma cofres em museu de arte em Milão

sexta-feira, 26 de outubro de 2012 15:12 BRST
 

Por Lisa Jucca

MILÃO, 26 Out (Reuters) - O maior banco de varejo da Itália transformou sua sede na praça La Scala, no centro de Milão, em um majestoso museu de arte moderna, exibindo obras italianas do pós-guerra, de artistas como Lucio Fontana e Renato Guttuso.

O Palazzo Beltrami, um edifício milanês fantástico que mistura o estilo neoclássico com características ecléticas, foi construído em 1911 para ser a agência principal da Banca Commerciale Italiana, agora parte do gigante dos bancos IntesaSanpaolo.

Quase 200 obras de arte, todas da enorme coleção de arte da IntesaSanpaolo, estão em exposição desde esta semana nas mesmas paredes do século 20, onde contadores de dinheiro e caixas trabalharam ao longo de 100 anos.

Até mesmo os cofres restaurados do banco serão transformados em halls de exposição, abrigando uma seleção rotativa de pinturas e esculturas.

"O principal hall do banco agora é o hall chave do museu", disse o arquiteto Michele De Lucchi, que dirigiu o projeto.

"Deixamos partes dos guichês originais, que agora são uma parte integral do espaço de exibição."

A exposição recém-inaugurada Cantiere del '900 é parte de um complexo mais amplo de museus chamado Gallerie d'Italia, pertencente à IntesaSanpaolo e está do outro lado da rua da famosa casa de ópera La Scala, na elegante rua comercial Via Manzoni.

Do Informalismo à Pop Art, a coleção tem como objetivo representar todos os movimentos artísticos mais importantes dos anos 1950 aos 1990. Ela é formada apenas por obras de italianos, muitos da região da Lombardia, onde fica Milão.

Uma seção inteira é dedicada ao emblemático Fontana, conhecido pela série de Conceito Espacial, pinturas monocromáticas e outras obras com furos ou rasgões feitos de propósito nelas.