Novos episódios de "Star Wars" dividem fãs

quarta-feira, 31 de outubro de 2012 11:40 BRST
 

Por Piya Sinha-Roy e Jill Serjeant

LOS ANGELES, 31 Out (Reuters) - Durante anos, parecia que um novo filme da série "Star Wars" seria apenas um sonho distante em alguma galáxia muito distante. Mas o estúdio Disney pensa diferente, e anunciou na terça-feira que planeja não um, mas três episódios a partir de 2015.

A Disney gastou 4 bilhões de dólares para adquirir a produtora Lucasfilm, de George Lucas, e a franquia "Star Wars". O negócio surpreendeu investidores e dividiu os fãs da série, entre os quais muitos não têm interesse em novas aventuras de Luke Skywalker e dos Jedis.

"A série se estagnou criativamente. Isso pode ficar bom... ou não", disse Chris Goodson, fã da série, escrevendo no Facebook.

Outro usuário, Peter Cambell, demonstrou incredulidade. "Isso é sério? Ah, por favor, chega de filmes do ‘Star Wars'."

Lucas, criador de tipos como a princesa Leia, o mocinho Luke e o vilão Darth Vader, há anos insistia que não faria mais filmes além dos três episódios originais e dos três subsequentes (cuja narrativa antecede aos primeiros filmes).

Em entrevista concedida em janeiro ao New York Times, o cineasta manifestava ressentimento com os fãs que o criticaram por novas versões dos filmes originais, com o "corte do direitor".

"Por que eu faria outros, se todo mundo grita com você toda vez e diz como você é uma pessoa terrível?", disse.

Mas, sete anos depois do lançamento do último filme da série, "A Vingança dos Sith", a Disney anunciou na terça-feira ver espaço para um "Star Wars Episódio 7" em 2015, com os episódios 8 e 9 sendo lançados em intervalos de dois ou três anos.   Continuação...

 
Presidente-executivo da Disney, Bob Iger, vai à conferência Allen & Co Media em Sun Valley, Idaho. Durante anos, parecia que um novo filme da série "Star Wars" seria apenas um sonho distante em alguma galáxia muito distante. Mas o estúdio Disney pensa diferente, e anunciou na terça-feira que planeja não um, mas três episódios a partir de 2015. 13/07/2012 REUTERS/Jim Urquhart