Furacão Sandy tumultua bairro artístico de Nova York

sexta-feira, 2 de novembro de 2012 19:50 BRST
 

Por Patricia Reaney

NOVA YORK, 2 Nov (Reuters) - O recuo das águas depois do furacão Sandy deixou uma imagem feia nas paredes do bairro mais artístico de Nova York, onde donos de galerias vasculhavam os destroços tentando contabilizar os prejuízos nesta sexta-feira, após uma inundação que chegou a 1,5 metro de altura.

As ruas do bairro de Chelsea, que é parte do West Side, em Manhattan, estão cheias de molduras descartadas e de material de construção que se desprendeu de galerias danificadas. O bairro fica às margens do rio Hudson e foi duramente castigado pela tempestade que chegou à Costa Leste dos EUA na noite de segunda-feira.

Helen Im, sócia do Grupo de Conservação de Belas Artes, que trabalha com restauração artística, disse que a maioria dos danos ocorreu em galerias térreas.

"Nunca vimos um fato assim neste bairro. É surreal, honestamente, ver tanto dano ao mesmo tempo e tão disseminado", afirmou ela.

Há pelo menos 100 galerias de arte concentradas entre as ruas 14 Oeste e a 26 Oeste, abrigando obras avaliadas em dezenas de milhões de dólares. Há desde grandes nomes, como Gagosian e Pace Gallery, até galerias independentes e recém-lançadas.

Como a chegada da tempestade já era prevista, os proprietários tomaram precauções, como proteger as obras com plásticos ou transferirem-nas para locais altos. Apesar disso, a destruição surpreendeu muita gente.

Rachel Churner, dona de uma galeria inaugurada há menos de dois anos, a dois quarteirões do rio, disse que o subsolo do seu imóvel ficou destruído. Ela não soube estimar seus prejuízos.

"Ainda torcemos para que muita coisa possa ser restaurada, e estamos vasculhando os destroços, tentando ver o que pode ou não ser salvo."

Im disse que, em 20 anos como conservadora de arte, nunca precisou lidar com nada assim. Seu ateliê já está cheio de obras de clientes do bairro. "Algumas delas deram perda total e precisarão ser tratadas por meio das seguradoras, mas muitas podem ser recuperadas", disse ela, acrescentando que algumas galerias precisarão ser fechadas. "Vai ser um esforço de longo prazo para a área recuperar o que foi perdido ou o que pode ser restaurado", disse ela.