CORREÇÃO-Lendário músico indiano Ravi Shankar morre aos 92 anos

quarta-feira, 12 de dezembro de 2012 17:36 BRST
 

(Corrige instrumento tocado por Shankar para sitar, e não cítara)

Por Jill Serjeant e Alex Dobuzinskis

LOS ANGELES, 12 Dez (Reuters) - O músico Ravi Shankar, que ajudou a introduzir a sitar, instrumento tradicional indiano, para o mundo ocidental através de suas colaborações com os Beatles, morreu aos 92 anos na terça-feira, no sul da Califórnia, nos Estados Unidos.

O indiano Shankar, vencedor de três Grammys e que fez aparições lendárias no Festival de Monterey, em 1967, e em Woodstock, estava com a saúde frágil há vários anos e passou por uma cirurgia na quinta-feira, disse a família em comunicado.

"Embora seja um momento de sofrimento e tristeza, é também um momento para todos nós agradecermos e sermos gratos pela chance de tê-lo como parte de nossas vidas", disse a família. "Ele vai viver para sempre em nossos corações e em sua música."

Na Índia, o gabinete do primeiro-ministro indiano, Manmohan Singh, postou uma mensagem no Twitter chamando Shankar de um "tesouro nacional e embaixador global do patrimônio cultural da Índia".

"Uma era morreu com a morte de... Ravi Shankar. A nação junta-se a mim para homenagear seu gênio insuperável, sua arte e sua humildade", acrescentou o primeiro-ministro indiano.

Shankar vinha sofrendo de problemas respiratórios e cardíacos no último ano e foi submetido a uma cirurgia para substituição de uma válvula cardíaca na semana passada em um hospital de San Diego, ao sul de Los Angeles.

A cirurgia foi bem sucedida, mas ele não conseguiu se recuperar.   Continuação...

 
Citarista indiano Ravi Shankar apresenta-se em Calcutá, na Índia, em fevereiro de 2009. Shankar que ajudou a introduzir a cítara para o mundo ocidental através de suas colaborações com os Beatles morreu na terça-feira. 07/02/2009 REUTERS/Jayanta Shaw