"Lincoln" e "Os Miseráveis" estão entre favoritos a prêmio nos EUA

quarta-feira, 12 de dezembro de 2012 14:21 BRST
 

Por Jill Serjeant

LOS ANGELES, 12 Dez (Reuters) - Os atores do drama "Lincoln," do musical "Os Miseráveis" e da comédia "O Lado Bom da Vida" foram indicados nesta quarta-feira para o prêmio do sindicato dos atores de cinema, recebendo quatro indicações cada, incluindo a de melhor elenco.

Entre os candidatos ao melhor elenco - o prêmio máximo do sindicato - estão também os atores do drama "Argo", sobre os reféns na embaixada norte-americana no Irã, e a comédia britânica "O Exótico Hotel Marigold".

O thriller "A Hora Mais Escura" sobre a caçada dos EUA a Osama bin Laden foi deixado de fora da lista dos melhores, mas Jessica Chastain foi indicada como melhor atriz por sua atuação como uma agente da CIA.

Os prêmios do sindicato dos atores, ou SAG, na sigla em inglês, estão entre os mais aguardados durante a temporada de premiações de Hollywood porque os atores formam um dos maiores grupos na votação dos selecionados para o Oscar.

Como resultado, os indicados do SAG geralmente figuram em destaque nas células de votação dos membros da Academia de Artes e Ciências Cinematográficas, que entrega o Oscar, em fevereiro.

Os prêmios do SAG serão entregues em Los Angeles em 27 de janeiro, em uma transmissão ao vivo pelas redes TBS e TNT.

"Lincoln", o filme do diretor Steven Spielberg sobre a luta do presidente dos EUA Abraham Lincoln para abolir a escravidão, resultou em nomeações nesta quarta-feira para o ator Daniel Day-Lewis e os coadjuvantes Sally Field, como sua mulher, e Tommy Lee Jones.

Hugh Jackman foi indicado para melhor ator, enquanto Anne Hathaway foi escolhida por seu papel coadjuvante na adaptação do musical "Os Miseráveis".   Continuação...

 
Daniel Day-Lewis é anunciado para o prêmio de melhor performance de ator masculino no papel de protagonista em "Lincoln", com os atores Taye Diggs (E) e Busy Philipps anunciando as indicações para o 19th Prêmio Anual do Sindicato de Atores de Cinema, em Hollywood, Califórnia. 12/12/2012 REUTERS/Jason Redmond