Cineasta Nagisa Oshima, de "O Império dos Sentidos", morre aos 80 anos

terça-feira, 15 de janeiro de 2013 20:06 BRST
 

15 Jan (Reuters) - O cineasta japonês Nagisa Oshima, conhecido pelo erótico "O Império dos Sentidos" e pelo drama "Furyo, Em Nome da Honra", morreu aos 80 anos, vítima de pneumonia.

A publicação Hollywood Reporter disse que Oshima morreu na terça-feira em Fujisawa, ao sul de Tóquio, onde morava desde que se aposentou da atividade cinematográfica.

O Instituto Britânico do Cinema descreveu Oshima como um dos maiores diretores da nova onda do cinema japonês da década de 1960, cujos filmes de forte carga política contrastavam com o conservadorismo estilístico do cinema japonês clássico.

Formado em direito, Oshima iniciou sua carreira cinematográfica aos 26 anos, com "Uma Cidade de Amor e Esperança", de 1959.

A notoriedade internacional viria com "O Império dos Sentidos", de 1976, retrato explícito do insaciável desejo sexual entre o dono de um hotel e uma empregada sua, no Japão dos anos 1930.

O filme continha cenas de sexo não-simulado, e precisou ser registrado como uma produção francesa para burlar as rígidas leis japonesas de censura. A versão sem cortes continua sem ser lançada no Japão.

Oshima ganhou o prêmio de direção no Festival de Cannes de 1978 por "O Império da Paixão", outra narrativa erótica.

Em 1983, se juntou ao cantor britânico David Bowie para fazer "Furyo", baseado nas experiências de Laurens van der Post como prisioneiro de guerra no Japão durante a Segunda Guerra Mundial.

Oshima sofreu um derrame em 1996, mas se recuperou e chegou a fazer mais um filme em 1999, "Tabu", sobre um samurai homossexual.

(Reportagem de Belinda Goldsmith)