Justiça russa nega habeas corpus a integrante do Pussy Riot

quarta-feira, 16 de janeiro de 2013 18:29 BRST
 

MOSCOU, 16 Jan (Reuters) - A Justiça russa rejeitou nesta quarta-feira um pedido de habeas corpus para Maria Alyokhina, integrante da banda punk Pussy Riot presa desde o ano passado por causa de um protesto político. Ela pleiteava que o cumprimento da sua pena fosse adiado para que ela pudesse cuidar do seu filho de cinco anos.

Alyokhina cumpre pena de dois anos em uma prisão a cerca de 1.200 quilômetros de Moscou, experiência que ela compara às obras de Nikolai Gogol, Franz Kafka ou George Orwell, por causa de um protesto contra o presidente Vladimir Putin na principal catedral da capital russa.

O tribunal da localidade de Berezniki, onde fica a prisão, nos montes Urais, considerou que a situação familiar da ré havia sido levada em conta na imposição da sentença e que, por isso, não caberia uma revisão.

Outras duas integrantes da banda Pussy Riot foram condenadas pelo protesto, mas uma delas teve a sentença suspensa.

(Reportagem de Steve Gutterman)