Editor tailandês pega dez anos de prisão por insulto ao rei

quarta-feira, 23 de janeiro de 2013 20:51 BRST
 

Por Amy Sawitta Lefevre

BANCOC, 23 Jan (Reuters) - O ex-editor de uma revista tailandesa foi condenado na quarta-feira a dez anos de prisão por insultar a família real, conforme as leis locais contra o crime de lesa-majestade. A União Europeia e grupos internacionais de direitos humanos criticaram a condenação.

Somyot Prueksakasemsuk era o editor de uma revista ligada ao ex-premiê Thaksin Shinawatra, e em 2010 publicou vários artigos críticos ao rei Bhumibol Adulyadej.

Discussões sobre o papel da monarquia são proibidas na Tailândia. Os artigos aludiam a um personagem fictício que podia ser associado ao rei.

"O acusado é um jornalista que tinha o dever de verificar os fatos nesses artigos antes de publicá-los. Ele sabia que o conteúdo difamava a monarquia, mas autorizou sua publicação de qualquer forma", disse o juiz do caso.

A revista, chamada "A Voz de Taksin" - ou um trocadilho com a expressão "a voz dos oprimidos" -, foi tirada de circulação logo antes da prisão de Somyot, segundo Thida Thawornseth, líder do movimento "camisa vermelha", ligado ao ex-premiê exilado.

A alta comissária de Direitos Humanos da ONU, Navi Pillay, descreveu a sentença como "um revés na proteção e promoção dos direitos humanos na Tailândia". "A decisão da corte é a mais nova indicação de uma perturbadora tendência em que as acusações de lesa-majestade estão sendo usadas para propósitos políticos", disse nota divulgada em Genebra.

A representação da União Europeia na Tailândia disse que o resultado do processo viola a liberdade de expressão e "afeta a imagem da Tailândia como uma sociedade livre e democrática".