Filme sobre WikiLeaks não fará julgamentos, diz diretor

quinta-feira, 24 de janeiro de 2013 12:03 BRST
 

LOS ANGELES, 23 Jan (Reuters) - Já começaram as filmagens de um longa-metragem sobre Julian Assange e seu site WikiLeaks, mas o diretor Bill Condon diz que sua intenção não é fazer um julgamento sobre o ex-hacker e sua influência.

O estúdio DreamWorks disse na quarta-feira que "The Fifth Estate" ("o quinto estado"), com o ator britânico Benedict Cumberbatch no papel de Assange, estreará em novembro nos EUA.

O filme narrará os primeiros dias do WikiLeaks pelos olhos de Assange e de seu ex-porta-voz, o alemão Daniel Domscheit-Berg (interpretado por Daniel Brühl), culminando com a liberação em 2010 de milhares de e-mails e documentos sigilosos do governo dos EUA.

"Pode levar décadas até entendermos o impacto completo do WikiLeaks e como ele revolucionou a difusão da informação. Então esse filme não reivindica nenhuma autoridade aprofundada sobre seu tema, ou qualquer tentativa de um julgamento final", disse Condon em nota.

"Queremos explorar as complexidades e desafios da transparência na era da informação, e esperamos animar e enriquecer as conversas que o WikiLeaks já provocou", acrescentou o diretor, responsável por obras como "Dreamgirls" e "A Saga Crepúsculo: Amanhecer".

O roteiro do filme se baseia no livro "Por Dentro do WikiLeaks", lançado em 2011 por Domscheit-Berg, que saiu desiludido da organização, e de uma outra obra, "WikiLeaks: Inside Julian Assange's War on Secrecy", dos jornalistas David Leigh e Luke Harding.

Assange vive hoje refugiado dentro da embaixada do Equador em Londres, para evitar ser extraditado da Grã-Bretanha para a Suécia, onde é suspeito de crimes sexuais.

(Reportagem de Jill Serjeant)

 
Diretor Bill Condor afirma que não quer julgar ex-hacker Julian Assange e sua influência. Filmagens de longa metragem sobre fundador do WikiLeaks já começaram. 12/12/2006 REUTERS/Mario Anzuoni