ESTREIA-"Meu Namorado é um Zumbi" é romance juvenil nos moldes de "Crepúsculo"

quinta-feira, 7 de fevereiro de 2013 14:15 BRST
 

SÃO PAULO, 7 Fev (Reuters) - "Meu Namorado é um Zumbi", de Jonathan Levine, é uma espécie de "Crepúsculo" com zumbis no lugar de vampiros. O filme até ensaia ser engraçado, mas, no fundo, só é mais outro romance água-com-açúcar sobre dois estranhos que se apaixonam.

Num mundo depois de um desastre que nunca sabemos ao certo o que foi, muitas pessoas se transformaram em zumbis, vagando por um aeroporto, isolados da cidade por uma grande muralha.

R. (Nicholas Hoult, de "Direito de Amar") é um jovem infectado e conta a sua história. Para sobreviver, os zumbis alimentam-se, como sempre, de carne humana e a melhor iguaria nesse banquete é o cérebro -- mas, ao ingeri-lo, incorporam-se também as memórias e sentimentos da vítima. Os maiores inimigos desse grupo são os zumbis que se elevaram a outro nível: devoram-se a si mesmos, tornando-se esqueletos ambulantes.

De tempos em tempos, os jovens não-infectados vão ao outro lado da muralha --muito bem armados-- para pegar medicamentos. Sempre se trava uma batalha contra os zumbis e, numa dessas vezes, R. devora o cérebro de Perry (Dave Franco), namorado de Julie (Teresa Palmer, de "Eu Sou o Número Quatro").

Apaixonado pela moça, ele a salva de um ataque, levando-a para morar no avião abandonado onde ele vive.

Se num primeiro momento há um estranhamento, a moça acaba se encantando com o jeitão do rapaz. Um outro problema que terão de enfrentar é o pai de Julie, Grigio (John Malkovich), uma espécie de líder mundial que devota sua vida a matar zumbis depois que estes trucidaram sua mulher.

Seguindo a mesma cartilha de "Crepúsculo", "Meu Namorado é um Zumbi" é, novamente, uma história de amor e transformação pela paixão. Se na bem-sucedida franquia baseada em Stephenie Meyer os vampiros são bonzinhos e castos, aqui, o zumbi tem mais sentimentos.

Independente das comparações, o público norte-americano divertiu-se com o filme, que alcançou o primeiro lugar da bilheteria dos EUA em sua estreia, há uma semana, faturando US$ 20,4 milhões - um sinal muito promissor de que pode estar aqui o início de uma nova franquia.

(Alysson Oliveira, do Cineweb)

* As opiniões expressas são responsabilidade do Cineweb

 
Ator britânico Nicholas Hoult é visto durante exibição do filme "Meu Namorado é um Zumbi" em Nova York. O filme, de Jonathan Levine, é uma espécie de "Crepúsculo" com zumbis no lugar de vampiros. O filme até ensaia ser engraçado, mas, no fundo, só é mais outro romance água-com-açúcar sobre dois estranhos que se apaixonam. 25/01/2013 REUTERS/Andrew Kelly