12 de Fevereiro de 2013 / às 08:44 / 5 anos atrás

Samba da Vila Isabel conquista público e embala desfile sobre agricultura

Carro alegórico da Vila Isabel, que saiu do sambódromo aclamada pelo público como campeã do Carnaval 2013 do Rio de Janeiro. 12/02/2013 REUTERS/Ricardo Moraes (BRAZIL - Tags: SOCIETY) - RTR3DO7A

RIO DE JANEIRO, 12 Fev (Reuters) - O samba de Martinho da Vila e Arlindo Cruz foi cantado em coro na Marquês de Sapucaí e embalou um desfile empolgante e tecnicamente sem erros da Vila Isabel, que se tornou a favorita a conquistar o título do Carnaval carioca.

O samba-enredo “A Vila Canta o Brasil, Celeiro do Mundo - Água no Feijão que Chegou Mais Um”, assinado por Martinho de Vila, Arlindo Cruz, André Diniz e companhia, já era motivo de grande expectativa antes do Carnaval, e foi recepcionado com euforia pela plateia, no último desfile da segunda noite do Grupo Especial, na madrugada desta terça-feira.

Entre as 12 escolas que passaram pela avenida nas duas noites de desfiles, a azul e branca de Vila Isabel foi a única agremiação a ouvir gritos de campeão ao longo da Sapucaí, juntando-se à Beija-Flor como favorita. A escola de Nilópolis também foi aclamada como campeã pelo público, mas apenas no setor final do sambódromo.

O refrão “festa no arraiá, é pra lá de bom; ao som do fole, eu e você; a Vila vem colher felicidade no amanhecer” embalou a passagem da escola pela avenida, num enredo que contou os hábitos da vida simples do povo do campo e do interior, incluindo um “arraiá” da bateria de espantalhos.

“É um momento especial, desfile no dia do aniversário do Martinho da Vila. Fizemos juntos o samba e ainda bem que saiu com bons produtos, senão iam cair de crítica na gente”, disse o cantor e compositor Arlindo Cruz, que acompanhou o carro de som da escola.

A Vila Isabel, comandada pela carnavalesca veterana Rosa Magalhães, abriu um desfile com um enorme caixote, símbolo do transporta alimentos do campo para a cidade. Bailarinos representaram as pragas do campo, agricultores e até um casamento caipira, tudo isso sobre o caixote.

O primeiro casal de mestre sala e porta-bandeira desfilou com as fantasias de espantalho e plantação de milho. Também passaram pela avenida plantações de verduras e legumes e a culinária do interior.

Quarta colocada em 2012 e sem conquistar um título desde 2006 (Soy Loco por ti, América a Vila Canta a Latinidade), a escola passou pela avenida sem cometer erros e pode tirar proveito de falhas cometidas por rivais como Beija-Flor e Mangueira, que estourou o tempo.

Por Pedro Fonseca e Maria Pia Palermo, com reportagem de Rodrigo Viga Gaier

0 : 0
  • narrow-browser-and-phone
  • medium-browser-and-portrait-tablet
  • landscape-tablet
  • medium-wide-browser
  • wide-browser-and-larger
  • medium-browser-and-landscape-tablet
  • medium-wide-browser-and-larger
  • above-phone
  • portrait-tablet-and-above
  • above-portrait-tablet
  • landscape-tablet-and-above
  • landscape-tablet-and-medium-wide-browser
  • portrait-tablet-and-below
  • landscape-tablet-and-below