ESTREIA-Atores carismáticos são o ponto forte do drama francês "De coração aberto"

quinta-feira, 14 de fevereiro de 2013 15:04 BRST
 

SÃO PAULO, 14 Fev (Reuters) - Uma dupla de atores carismáticos e talentosos, a premiada francesa Juliette Binoche e o venezuelano Edgar Ramirez, é o grande valor do drama romântico "De coração aberto", em que a diretora novata Marion Laine demonstra ainda ter um caminho a percorrer para comandar um ritmo consistente. O filme estreia apenas em São Paulo.

Baseado em romance de Mathias Énard, o enredo acompanha a jornada de um casal de médicos cardiovasculares que vive tudo no limite, Mila (Juliette Binoche) e Javier (Edgar Ramirez).

O filme começa numa voltagem luminosa, quando os dois, dividindo a mesma mesa de cirurgia, se completam profissionalmente, saindo dessa rotina estressante para passeios de barco e mergulhos num lago.

Salvando vidas na ponta do bisturi, eles fazem tudo parecer fácil e se sentem donos do mundo. A referência ao "coração aberto" no título é não só a definição de seu trabalho, mas de sua atitude perante a vida e diante um do outro.

O vício de Javier pela bebida é o elemento desagregador deste ambiente íntimo em que tudo parece encaixar-se e fazer sentido. Essa dependência acaba por cobrar o seu preço quando Javier é suspenso de suas cirurgias, não por nenhuma falha concreta, mas pelo risco implícito.

Ele é restrito apenas ao consultório e ao magistério até que aceite submeter-se a uma recuperação.

Numa rebeldia que parece suicida, Javier recusa qualquer tratamento e também suas novas funções. Prefere apenas cuidar da própria casa. Enquanto isso, a mulher assume mais responsabilidades, precipitando as primeiras nuvens de um relacionamento que parecia perfeito.

Uma gravidez indesejada acentua a tensão entre o casal, que nunca desejou filhos, especialmente Mila. Decidida a apoiar o marido, ela opta igualmente por ter o bebê. A gravidez será tudo menos tranquila.

Contando com um par de atores que é o sonho de qualquer diretor, Marion Laine, que é também atriz e estreou em longas com "Un coeur simple" (2008), com Sandrine Bonnaire, não consegue retratar devidamente a humanidade de seus personagens em crise.   Continuação...