Atores de Hollywood enfrentam novos desafios com pessoas "reais" em anúncios

sexta-feira, 15 de fevereiro de 2013 17:08 BRST
 

Por Sue Zeidler

LOS ANGELES, 15 Fev (Reuters) - Para um recente comercial de TV, a agência publicitária da H&R Block desistiu de usar atores e escolheu Riley Holmes, que trabalha no escritório de contabilidade de Chicago, para lançar um serviço gratuito da empresa de reavaliação da declaração de imposto que alegava poder encontrar novas deduções de restituições anteriores.

"As pessoas trazem as declarações de impostos antigas e eu falo algo como ‘quem fez isso com você?'", diz Holmes no comercial de TV de 30 segundos.

Com reality shows de sucesso atraindo espectadores para praticamente todos os canais, a H&R Block está entre um número crescente de empresas, incluindo a Bayer, a Best Buy Co e a Ford Motor Co, que estão se jogando na tendência e lançando suas próprias "donas de casa reais" e outras pessoas que não atuam profissionalmente em seus comerciais.

O uso cada vez maior de pessoas "reais" pelos anunciantes está entre uma crescente lista de desafios enfrentados por atores, no momento em que o sindicato que representa 165 mil atores e profissionais de mídia começou a negociar na quinta-feira um novo contrato de três anos.

Negociadores da indústria devem resistir aos esforços para aumentar as tarifas de atores para o crescente número de comerciais que aparecem online.

"As pessoas querem o sobrevivente real de câncer, o médico real, o comedor de fogo real", disse Carol Lynn Sher, que trabalha para a Agência de Talentos CESD, em Los Angeles. "Menos atores estão sendo usados para esses papéis e isso está tirando empregos."

"Minha filha Francesca de 13 anos faz testes para comerciais há cinco anos, e está mais difícil do que nunca porque agora eles querem que as crianças sejam bailarinas reais, violinistas reais ou ginastas reais", disse Toni Farina, mãe de uma jovem atriz de Los Angeles.

A questão de pessoas da vida real estarem conseguindo trabalhos de atores não deve ser abordada formalmente nas negociações de publicidade do Screen Actors Guild (SAG) e federação Americana de Artistas de Televisão e Rádio (AFTRA).   Continuação...