ESTREIA-Animação "O Reino Gelado" adapta conto de Hans Christian Andersen

quinta-feira, 21 de fevereiro de 2013 13:34 BRT
 

SÃO PAULO, 21 Fev (Reuters) - Inspirado em alguns elementos de "A Rainha da Neve", de Hans Christian Andersen, a animação russa "O Reino Gelado", que é lançada em cópias convencionais e 3D, aposta no belo visual para contar a história de duas crianças que, com a ajuda de um troll e um furão, enfrentam uma entidade má que transformou seu país num lugar coberto de neve o tempo todo.

Quando um homem cria um espelho capaz de mostrar as características negativas que a pessoa tem dentro de si, a Rainha má se irrita e provoca uma nevasca que destrói casas e cidades, matando pessoas, inclusive um homem e sua mulher, deixando duas crianças órfãs.

Anos mais tarde, Gerta mora num orfanato dickensiano, onde é obrigada a costurar luvas. Por acaso, acaba reencontrando o seu irmão, Kai, na mesma instituição.

Nesse mesmo instante, um troll que foi mandado pela Rainha os captura e todos acabam num mundo mágico --mas Gerta e Kai vão para lugares diferentes. Ele se depara com a Rainha, que acredita que o garoto possui poderes para acabar com ela, e também, por ele ser desenhista, quer congelá-lo.

O que ela não sabe é que é Gerta quem tem poderes. Ela acabou ficando junto com seu furão e o troll, e começam uma jornada em busca de Kai.

Pelo caminho, vão se deparar com uma mulher ambiciosa que vende flores sem perfume a preços bem altos. Ao perceber que a menina é capaz de transformar suas plantas, tenta sequestrá-la.

Mais tarde, o trio irá encontrar um castelo onde o rei brigou com o casal de filhos e resolveram dividir tudo ao meio. Depois, chegam a um navio pirata encalhado, onde travam amizade com a filha da chefe do bando. Enquanto isso, o pequeno Kai tenta resistir às maldades da Rainha da Neve.

Ao contrário das animações dos últimos tempos, "O Reino Gelado" não é uma comédia, mas uma aventura em tom de fábula.

Dos elementos que não seguem o conto original, a maior mudança acontece com o troll, que, na história de Andersen, é o próprio demônio. Aqui, é uma criatura quase inofensiva e trapalhona, que até simpatiza com Gerta.

(Por Alysson Oliveira, do Cineweb)

* As opiniões expressas são responsabilidade do Cineweb