Vendas de músicas registram primeira alta desde 1999

terça-feira, 26 de fevereiro de 2013 13:41 BRT
 

Por Mike Collett-White

LONDRES, 26 Fev (Reuters) - A indústria da música quebrou uma sequência de 12 anos de perdas em 2012, registrando um aumento pequeno, mas simbólico de 0,3 por cento nas receitas comerciais para 16,5 bilhões de dólares, mostraram dados da Federação Internacional da Indústria Fonográfica (IFPI) nesta terça-feira.

O ligeiro aumento virá como um alívio para os chefes de gravadoras que viram o valor das vendas despencar de um pico de 28,6 bilhões de dólares em 1999, com os downloads ilegais e a relutância em abraçar a era digital afetando duramente as receitas.

Mais uma vez, foi o setor digital que mostrou o maior crescimento, e pela primeira vez, mais do que compensou as perdas nas receitas físicas.

"No início da revolução digital, era tema comum dizer que o digital estava matando a música", disse Edgar Berger, presidente internacional da Sony Music Entertainment.

"Bem, a realidade é, o digital está salvando a música. Acredito firmemente que isto marca o início de uma história de crescimento global. A indústria tem todos os motivos para ser otimista sobre seu futuro."

As vendas digitais das gravadoras subiram cerca de nove por cento no ano passado sobre 2011, para 5,6 bilhões de dólares e responderam por 34 por cento do rendimento total.

As vendas de downloads aumentaram 12 por cento, para 4,3 bilhões de unidades mundialmente. As vendas de álbuns digitais cresceram 17 por cento, para 207 milhões.

Serviços de assinatura como o Spotify e o Deezer "atingiram a maioridade" no ano passado, de acordo com a IFPI, e devem cruzar a marca de 10 por cento em fatia do total das receitas de música digital pela primeira vez.   Continuação...