Diretor de "Skyfall" Sam Mendes recusa próximo filme de James Bond

quarta-feira, 6 de março de 2013 13:05 BRT
 

LONDRES, 6 Mar (Reuters) - O diretor britânico Sam Mendes não vai dirigir o próximo filme de James Bond, apesar de ter impressionado críticos e quebrado recordes de bilheteria com "007 - Operação Skyfall", o 23° filme do espião.

Falando à revista Empire, em entrevista publicada nesta quarta-feira, o cineasta premiado com o Oscar disse que iria se concentrar agora em seus projetos de teatro.

O sucesso de "Skyfall", filme de James Bond com maior bilheteria em todos os tempos --com faturamento de mais de 1,1 bilhão de dólares no mercado mundial--, levou a especulações na mídia de que Mendes voltaria para o 24º filme de Bond.

"Foi uma decisão muito difícil não aceitar a oferta muito generosa de Michael e Barbara para dirigir o próximo filme de James Bond", disse Mendes, referindo-se aos produtores da franquia, Barbara Broccoli e Michael G. Wilson.

"Dirigir 'Skyfall' foi uma das melhores experiências da minha vida profissional, mas tenho o teatro e outros compromissos, incluindo produções de "Charlie e a Fábrica de Chocolate" e "Rei Lear", que precisam do meu foco total no próximo ano e depois."

Mendes tem uma vasta experiência na direção de teatro e estourou no cinema ganhando um prêmio da Academia por seu filme de estreia "Beleza Americana", estrelado por Kevin Spacey.

Sua colaboração com Daniel Craig como James Bond e a forma como lidou com importantes novos integrantes do elenco, incluindo Ralph Fiennes e Ben Whishaw em "Skyfall", foram amplamente elogiadas pela crítica e ajudaram o filme a se tornar um grande sucesso comercial.

No entanto, o diretor, de 47 anos, deixou a porta aberta para um retorno à franquia no futuro.

"Eu me sinto muito honrado de ter feito parte da família Bond, e espero muito que tenha a oportunidade de trabalhar com ela novamente no futuro", disse.

Wilson e Barbara disseram que entendem a decisão de Mendes de recusar o 24° Bond, mas acrescentaram que "desejam ter a oportunidade de colaborar com ele novamente".

(Reportagem de Mike Collett-White)