Malaui chama Madonna de "grosseira" em mensagem dura

quinta-feira, 11 de abril de 2013 09:40 BRT
 

Por Mabvuto Banda

LILONGUE, 11 Abr (Reuters) - O governo do Malaui rotulou a pop star Madonna de uma "grosseira" que supervaloriza seu trabalho de caridade no país e exige tratamento diferenciado quando o visita.

O governo da presidente do Malaui, Joyce Banda, acusou a "Material Girl" de afrontar funcionários depois de fazer reclamações a respeito de sua última viagem ao país do sul da África, neste mês.

"Entre as muitas coisas que Madonna precisa aprender com urgência está a decência de dizer a verdade", disse um comunicado de 11 pontos da Casa de Estado do Malaui.

Reportagens na imprensa local disseram que Madonna e seus filhos foram forçados a participar de uma fila de check-in e passar pela segurança com passageiros comuns em um aeroporto do Malaui quando eles deixaram o país.

O Malaui disse que Madonna espera que o governo esteja para sempre acorrentado a uma "obrigação de gratidão" para com ela, por ter adotado duas crianças do Malaui e por contribuir para a construção de escolas no país.

"A bondade, em seu sentido comum, é gratuita e anônima. Se não pode ser livre e silenciosa, não é bondade; é outra coisa", disse o comunicado do governo. "Chantagem é o mais próximo do que se torna".

A cantora chamou de "mentira" os comentários feitos pelo governo do Malaui em um comunicado publicado no site de sua fundação de ajuda ao país.

"Estou triste que a presidente do Malaui, Joyce Banda, tenha optado por lançar mentiras sobre o que temos feito, minhas intenções e como eu me comportei pessoalmente ao visitar o Malaui, entre outras inverdades", disse Madonna.

A cantora disse que chegou ao Malaui há sete anos com boas intenções e retornou no início deste mês para ver as novas escolas construídas por sua fundação.

"Eu não pedi ou exigi tratamento especial no aeroporto ou em qualquer outro lugar durante a minha visita", disse Madonna.