Corte francesa decide que leilão de máscaras sagradas deve ir adiante

sexta-feira, 12 de abril de 2013 13:01 BRT
 

PARIS, 12 Abr (Reuters) - Um tribunal de Paris decidiu nesta sexta-feira que um leilão de máscaras antigas reverenciadas como sagradas por uma tribo nativa norte-americana deve seguir adiante, apesar dos crescentes protestos para interromper a venda, incluindo um pedido do embaixador dos EUA na França.

A tribo Hopi do nordeste do Arizona, e apoiadores como o ator Robert Redford, incitaram a casa de leilões de Paris a suspender a venda devido à importância cultural e religiosa das máscaras.

Mas o tribunal rejeitou a moção da tribo e da Survival International, um grupo não-governamental que representa os seus interesses, argumentando que só poderia intervir para proteger restos humanos ou seres vivos.

"Esta decisão é muito decepcionante", disse Pierre Servan-Schreiber, um advogado de Survival International. "Nem tudo é necessariamente para a venda ou compra e nós precisamos ter cuidado".

Os leiloeiros Neret-Minet, Tessier e Sarrou pretendem levar adiante nesta sexta-feira um leilão de dezenas de máscaras, a preços que variam entre 2 mil dólares e 32 mil dólares cada.

Um porta-voz dos leiloeiros não estava imediatamente disponível para comentar o assunto.

Um coro crescente de opositores opinou sobre a disputa, argumentando que a casa de leilões de Paris deve fornecer justificativa legal para vender as máscaras.

"Leiloá-las seria, na minha opinião, um sacrilégio, um gesto criminoso que contém graves repercussões morais", escreveu Robert Redford em uma carta aberta.

O embaixador dos EUA na França Charles Rivkin havia pedido um adiamento até que a situação jurídica e a origem das máscaras fossem definidas.

(Por Nicholas Vinocur, Chine Labbe, Lucien Libert e Tara Oakes)