Casa de Anne Frank defende Bieber por declaração em livro de visitas

segunda-feira, 15 de abril de 2013 18:10 BRT
 

AMTERDÃ, 15 Abr (Reuters) - Um museu de Amsterdã dedicado à memória Anne Frank defendeu na segunda-feira o cantor canadense Justin Bieber por ter escrito no livro de visitas da instituição que a jovem vítima do Holocausto teria sido uma "belieber", apelido dado aos fãs dele.

Bieber, de 19 anos, foi criticado nas redes sociais pelo comentário que deixou após uma visita no fim de semana. Muita gente o acusou de fazer autopromoção e de ser deselegante.

A Casa de Anne Frank preserva a memória do local onde a menina, autora de um famoso diário, se escondeu durante anos com sua família durante a Segunda Guerra Mundial, até ser capturada e morta pelos nazistas, aos 15 anos.

Uma porta-voz do museu disse que a instituição ficou satisfeita em receber a visita do astro pop. "Seus comentários foram bastante inocentes", disse ela. "Ele passou mais de uma hora aqui e se interessou pela vida de Anne Frank, e para nós isso é o mais importante."

O museu usou o Facebook para anunciar, no sábado, que Bieber havia feito uma visita ao local. "No nosso livro de visitantes ele escreveu: ‘Realmente inspirador poder vir aqui. Anne foi uma grande menina. Quem dera ela tivesse sido uma ‘belieber''", dizia a nota.

Milhares de pessoas comentaram a postagem, e a grande maioria o criticou. "Que jeito de transformar um momento inspirador em algo a respeito de si próprio", escreveu um usuário.

A assessoria de Bieber, que está em turnê pela Europa, não quis se pronunciar.